Seriando #1 – Greenleaf, Ordem na casa e Sex Education

Seriando #1 – Greenleaf, Ordem na casa e Sex Education

Tenho feito no Instagram notas sobre filmes, séries, músicas, livros, a vida. Resolvi compartilhar por aqui também. A plataforma não entrega a publicação para todos que me seguem e sei que tem gente que não é muito fã dela. 🙂

Greenleaf – temporadas 2 e 3

“Greenleaf” segue na mesma vibe da primeira temporada: fé, escândalos e corrupção. Assuntos importantes foram acrescentados nas últimas duas temporadas: homossexualidade x igreja e relacionamentos abusivos entre jovens.

Escolhi uma imagem com Lady Mae e Grace porque são duas personagens complexas que eu tenho uma relação de amor e ódio (sou dessas rs). Para quem não conhece, Greenleaf conta história de uma família de cristãos e sua megaigreja protestante Irmandade do Calvário, localizada na cidade de Memphis (Tennessee). Só que os episódios não são voltados aos cultos, ensinamentos bíblicos e a vida cristã, o foco da série é escancarar o que está por trás da pregação de domingo do bispo James (Keith David) e todo seu império.
A série foi criada por Craig Wright (Lost, Six feet under) e tem produção executiva de Oprah Winfrey e Clement Virgo.

Gosto muito e indico demais!

Leia também: Greenleaf – fé, escândalos e corrupção

 

Ordem na casa com Marie Kondo – temporada 1

Eu vi a série “Ordem na casa com Marie Kondo” depois que cheguei de uma viagem. Ou seja, estava cansada e só queria ficar jogada no sofá. Só que após ver o primeiro episódio, levantei do sofá e fui desarrumar as malas e colocar a roupa suja para lavar. Fui envolvida pelo espírito do método Kondo. Grazadeus!

É muito interessante ver a Marie entrar em lares diversos de pessoas que estão estressadas com a desorganização e querendo mudar de vida. O primeiro passo é justamente esse: querer mudar.
A série traz algo que acredito muito: você não nasce uma pessoa organizada, mas pode se tornar uma. Organização não é sinômino de loucura, mas sim de praticidade. Ter o lugar certo para cada coisa ajuda na correria no dia a dia. Tem um monte de coisa que não podemos resolver, mas a bagunça dos nossos armários a gente pode, né?

Mas o que mais me chamou atenção foi a Marie Kondo cumprimentar cada casa que ela visitou. É um momento emocionante. Achei bonita essa relação com um espaço físico. Agradecer por ter um lar e cuidar dele para se sentir bem e confortável na rotina louca desse mundo.

Vi muitos memes com o fato da Marie dizer para os participantes que devem deixar em casa apenas tudo aquilo que traz felicidade. Já havia aprendido algo similar com a Thais Godinho. Destralhar o que não nos serve no momento e ficar apenas com aquilo que é coerente com nossa vida atual. É bem difícil de desapegar, mas é necessário.

Outro ponto interessante: as obrigações domésticas não são exclusivas das mulheres, mas sim da família. Vemos muitas mães sobrecarregadas e querendo dar conta de tudo dentro de casa porque a nossa cultura patriarcal machista diz que cuidar do lar é coisa de mulher. Mas não é. Esse é um trabalho da família e de certa maneira o método Kondo ensina isso ao dizer que cada integrante deve ser responsável por seus pertences na casa e algumas tarefas devem ser delegadas para cada um deles.

A série é ótima! Peguei várias ideias práticas que vou aplicar em breve aqui em casa.

Leia também:

É tempo de arrumar o guarda-roupa

Dicas de organização e produtividade

Sex Education – temporada 1

Sex Education Season 1
Credito: Sam Taylor/Netflix

“Sex Education” é uma série bem divertida. Fala sobre educação sexual para adolescentes. Quando não se conversa sobre sexo na escola e nem em casa onde os adolescentes buscam informação? Quase sempre na internet e entre amigos. É por aí que Otis surge como terapeuta sexual dos seus colegas da escola. Mas tudo que ele aprendeu sobre sexo foi por causa da sua mãe Jane (Gillian Anderson) que é terapeuta sexual.
Temos alguns personagens estereotipados? Temos sim! Mas as questões que a série traz nos fazem esquecer desse detalhe. E em meio a tantas dúvidas sobre sexo, sempre ficam as lições: se conhecer melhor, conhecer o próprio corpo e respeitar o próprio tempo, antes de querer se relacionar com alguém.
Vale super a pena ver e pensar sobre a necessidade de falar abertamente sobre sexo em casa, na escola, etc. 

 

Obs: Todas as séries estão disponíveis na Netflix.

 

Publicado porJeniffer Geraldine

escritora, jornalista, mestranda em crítica cultural


Sem comentários

Deixe um comentário