Literatura

Livros de abril e maio/ 2017

Não li muito nos últimos dois meses, mas sigo tentando colocar em prática meu planejamento literário. Também não estou comprando muitos livros físicos, por motivos de economia. Mas recebi alguns livros legais em parceria com o Grupo Editorial Record. Confira no vídeo quais foram as leituras e os livros novos de abril e maio/2017.

Links citados: 

Pequenas atitudes, grandes mudanças

Charlotte

#GirlBoss

Ferrugem

 

As cores da escravidão – Ieda de Oliveira

Ieda de Oliveira é escritora, compositora e especialista em Literatura Infantojuvenil, com vários livros publicados sobre o tema no Brasil e exterior.

As cores da escravidão (96 páginas, Editora FTD), lançado em 2013, esteve entre os 10 indicados na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti 2014. Além de ter o selo Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, e fazer parte do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) do governo federal.

O livro conta a história de Tonho que sonhava em ter uma vida melhor. A avó Tonha contava histórias para o garoto e uma delas era sobre o Gato de Botas. Um dia, surgiu no bairro onde eles moravam o Gato Barbosa – homem que recrutava trabalhadores para empreitadas. Tonho, inocente, acredita que aquela é a chance de mudar de vida. E acaba seguindo viagem com o Gato e seu amigo João.

O casal que mora ao lado – Shari Lapena

O Grupo Editorial Record enviou para os parceiros o best-seller internacional O casal que mora ao lado enrolado numa fralda de bebê com cheiro de talco. Eu ri e fiquei super curiosa. E ainda mais quando li o sub-título “as pessoas são capazes de qualquer coisa”. A autora Shari Lapena, uma canadense advogada, não poupou reviravoltas para nos deixar intrigados com esse thriller psicológico

Peter Pan – J. M. Barrie

As boas histórias nascem a partir das experiências de vida. O autor passa por algo, ou escuta algum relato de um amigo, ficcionaliza e temos uma excelente narrativa, e quem sabe até um clássico. A primeira inspiração para criar Peter Pan veio da morte, ainda quando criança, do irmão do escritor James Barrie. Esse fato marcou a vida de James para sempre e na sua cabeça, o irmão David ficou memorizado como o menino que nunca cresceu.

Já adulto, Barrie conheceu o casal Sylvia e Arthur Llewelyn Davies em um jantar e logo descobriu que também conhecia os filhos deles. Em um verão, o escritor decide viajar com essa família e a convivência com as crianças o inspirou a escrever Os meninos náufragos do Lago Negro, considerado o primeiro esboço de Peter Pan.

Navigate