Mulheres no Cangaço

Quem era Maria, sem ser a Bonita, sem ser a personagem do imaginário popular?

Maria Bonita era/é um produto da indústria do entretenimento. Maria de Déa era uma mulher comum, nos anos 1920, que não seguiu o destino esperado por sua família e a sociedade do interior da Bahia. Ainda casada, se apaixonou por Virgulino Pereira, o Lampião, e foi viver com ele pelo sertão nordestino. Foi a primeira e única mulher que escolheu viver entre os cangaceiros. Todas as outras não tiveram a opção de escolha.

Continue lendo

É tempo de arrumar o guarda-roupa

Em um mundo acelerado como esse, em que 24 horas não são suficientes para riscar todos os itens da nossa lista de afazeres. Em que o tempo passa tão depressa que não dá nem para perceber o início das estações. A rotina atropela e a gente vai vivendo e acumulando coisas, pessoas, sentimentos.

Tem uma hora que a gente olha para o quarto e está lá um monte de roupa amontoada, bolsas reviradas, sapatos pelos cantos. Se isso te incomoda? Claro que sim. Mas cadê o tempo para arrumar? Entre responder um e-mail de um projeto novo e arrumar as roupas, você prefere responder o e-mail e ainda joga o casaco por cima da pilha de roupas.
Continue lendo

Planner 2019

2019 é o terceiro ano do planner do blog! Agradeço muito a você que escolheu passar os dois últimos anos se organizando com a gente! 😉

Temos algumas novidades especiais para 2019! Fechei mais uma vez a parceria poderosa com Anne Karolines para desenvolver a arte. E Anne teve a ideia brilhante de convidar Marisa Novaes para fazer lettering especial para cada mês do ano. E, gente, ficou lindo demais!Continue lendo

Paixão pela possibilidade

Eu sigo alguns perfis nas redes sociais que incluo nas categorias motivação e inspiração. Geralmente são perfis voltados para espiritualidade e, claro, livros. Entre os perfis literários inspiradores tem o “Desculpe a poeira”, Instagram de um sebo que fica em São Paulo. Nunca fui lá, mas tenho muita vontade de ir e conhecer por conta da curadoria de citações que eles fazem diariamente nas redes sociais. Não sei dizer quem é o olhar por trás da curadoria, mas esse olhar é quase sempre certeiro, amigável, reconfortante, crítico e instigante.

Essa semana eles publicaram um trecho que está no livro “O princípio esperança”, de Ernst Bloch:

“Se eu pudesse desejar algo para mim, não desejaria riqueza nem poder, mas a paixão da possibilidade; desejaria apenas um olho, que eternamente jovem, ardesse de desejo de ver a possibilidade.”

Continue lendo

Entre o ON e o OFF

Hoje acordei com a ideia de ter um day-off, ou seja, ia ficar longe das redes sociais, do celular, e me dedicar a outras atividades. A necessidade veio por conta de três fatores: meu Twitter continua monotemático (política); preciso dar conta de uma pilha de apostilas que está aqui do lado; e me questionei: tenho a necessidade de ficar compartilhando a cada hora minha vida nos stories do Instagram e de checar a vida dos outros a cada momento?Continue lendo

Sobrevivendo ao caos

Você já deve ter visto em várias redes sociais algumas tirinhas em que uma pessoa pergunta para outra se ela está bem. A gente sempre costuma responder que está bem. Mas, ultimamente, estamos sendo obrigados a deixar as aparências de lado e dizer que não, não está tudo bem.

O Brasil está passando por uma crise política intensa e qualquer pessoa que se preocupe com o futuro democrático do país não está bem. Os verbos atuais são resistir e lutar.

Continue lendo

Planner 2018 – outubro, novembro e dezembro

E 2018 já está quase no fim! Espero que você tenha conseguido realizar quase tudo que desejou no início do ano. E, caso não, ainda tem três meses pela frente para trabalhar duro e chegar lá. Ou quase lá. Não tem problema se não chegar lá, o importante é continuar tentando e acreditar que é possível.Continue lendo

FLIP 2018 – O que veio na minha bolsa

De 25 a 29 de julho aconteceu a 16ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP). A homenageada da vez foi Hilda Hilst. A FLIP me inspira tanto! Amo Paraty, o astral do lugar e da feira, conhecer pessoas dos livros, rever outras. Ouvir de perto escritores que sou fã. Conhecer tantos outros e me apaixonar.

Ano passado fiz dois vídeos especiais: O que veio na minha bolsa da FLIP 2017 e Diário da FLIP 2017. Em 2018, preferi aproveitar mais do momento por lá, sem me preocupar em registrar para levar vídeos pro canal depois. Fiquei apenas com meu celular registrando alguns momentos e cenas que me encantaram. Compartilhei tudo no meu Instagram (timeline e story). Mas como tinha gostado do modelo de vídeo “o que veio na minha bolsa da FLIP”, resolvi repetir para compartilhar o que trouxe e contar um pouco da minha experiência na FLIP 2018.


 

E, aí, vamos em 2019?! 😉

TAG | Felicidade é…

Formato Vídeo

 

Resolvi pensar sobre o que é felicidade respondendo a tag “Felicidade é…”. 😉

PERGUNTAS:

O que você gosta de fazer quando está sozinha?

O que você gosta de fazer com outras pessoas?(família, amigos e namorados)

Pequenas coisas que te faziam feliz na infância?

Uma coisa que te deixou feliz essa semana

Uma comida que te deixa feliz. (doce ou salgada)

Cite três coisas que te deixam muito feliz. Complete : felicidade é…