Peter Pan – J. M. Barrie

As boas histórias nascem a partir das experiências de vida. O autor passa por algo, ou escuta algum relato de um amigo, ficcionaliza e temos uma excelente narrativa, e quem sabe até um clássico. A primeira inspiração para criar Peter Pan veio da morte, ainda quando criança, do irmão do escritor James Barrie. Esse fato marcou a vida de James para sempre e na sua cabeça, o irmão David ficou memorizado como o menino que nunca cresceu.

Já adulto, Barrie conheceu o casal Sylvia e Arthur Llewelyn Davies em um jantar e logo descobriu que também conhecia os filhos deles. Em um verão, o escritor decide viajar com essa família e a convivência com as crianças o inspirou a escrever Os meninos náufragos do Lago Negro, considerado o primeiro esboço de Peter Pan.

Mas o famoso menino que não queria crescer só surgiu como o conhecemos hoje, através de uma peça de teatro que James escreveu em 1902 e chamou de Peter Pan, ou o Menino que não queria crescer.

Lembro de conhecer Peter, Wendy e a Fada Sininho através de desenhos. E aqui no Brasil, muita gente conheceu por causa do Monteiro Lobato. Devo ter lido alguma adaptação do Lobato, mas o que me marcou mesmo foram os desenhos.

clássicos zahar - peter pan - foto jeniffer santos

A história é fantasia pura. Você precisa ter ainda um pouco da criança que foi para ler e gostar, caso leia depois de jovem ou adulto. Peter um dia entra pela janela do quarto de Wendy e seus irmãos, João e Miguel, e os encanta com histórias sobre fadas, sereias e a possibilidade de voar e viver grandes aventuras na Terra do Nunca. O Menino consegue convencê-los e os leva para conhecer a terra encantada.

Lá, Wendy se torna a Mãe dos Meninos Perdidos (crianças que caem dos carrinhos de bebês quando estão sendo cuidadas por babás desajeitadas) e eles vivem juntos muitas aventuras, mas é claro que nem tudo é brincadeira e diversão. Peter Pan tem um inimigo antigo, o Capitão Gancho, que quer se vingar do Menino porque ele arrancou uma de suas mãos. E com isso começa a parte perigosa da aventura.

Enquanto o autor vai nos contando sobre a Terra do Nunca e os dias das crianças por lá, ele também vai nos apresentando um pouco da personalidade de Peter Pan. Já sabemos que ele não quer crescer, mas além disso Peter é um garoto  super metido e arrogante e que esquecia rapidamente das coisas. Essa personalidade encantava alguns, como os Meninos Perdidos, e irritava outros, como o Capitão Gancho.

Ler Peter Pan nos leva para um lugar único e mágico e, ao mesmo tempo, fala sobre amizade, família e infância, fase que na idade queremos que passe logo e quando passa, queremos voltar pois lá parece que tudo é mais fácil. Quando se é adulto, a gente esquece de fantasiar, de encarar a vida com mais leveza, mas também o mundo muita vezes não permite e é assim que a gente entende porque Peter não queria crescer.

A diferença de Peter para os outros meninos em momentos como aquele é que eles sabiam que aquilo era faz de conta, enquanto para Peter faz de conta e realidade eram exatamente a mesma coisa. (pag 103)

classicos zahar - peter pan - foto jeniffer santosIMG_8310

  •  Leia também a releitura fantástica obscura do clássico Peter Pan, O ladrão de crianças, escrita por Gerald Brom – sensacional!
  • Veja o filme Em busca da Terra do Nunca, com Johnny Depp e Kate Winslet, sobre James Barrie e como ele criou Peter Pan e a Terra do Nunca – Amei!
  • Veja o filme Peter Pan (2013) – lindo demais. Gostei porque é filme e não animação.
  • As fotos são da edição Bolso de luxo da Editora Zahar. O livro veio no box Clássicos que brilham no escuro – tem unboxing no canal do blog no Youtube.

Espalhe “Peter Pan – J. M. Barrie” por aí! 😉

10 Comentários

  1. To com esse livro no kindle, mas fico com medo de ler e não gostar e acabar estragando essa história tão fofa. Mas esse post acabou me deixando com vontade de ler sim e ler logo!
    Beijos

  2. Tive que voltar aqui e comentar mais uma vez.
    Desde que você postou essa resenha eu fiquei com uma vontadinha de ler Peter Pan. Nunca fui a maior fã das animações e nem dos personagens de uma maneira geral, mas seu post me deixou bem curiosa, não nego.
    Fevereiro foi um mês que eu tava muito estressada e Os Miseráveis me jogou em uma ressaca literária que eu desencanei de ler tudo na vida. Esse livro tem me saturada um tanto, então fui pro mundo infantil um pouco e peguei Peter Pan.
    Eu gostei do livro muito mais do que eu esperava. Foi bem divertido e se não fosse minha ressaca toda eu teria gostado ainda mais. Mas eu definitivamente não gosto do Peter, mas amei os meninos perdidos ♥ Eles são uns fofos!
    Mas enfim, contei tudo isso, mas o que eu realmente queria era agradecer a dica, valeu muito a leitura!

    Beijos

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Na, fiquei muito feliz em saber que minha resenha despertou o seu interesse. Peter é um personagem complicado para gostar tanto rs Mas a história toda é muito bacana, né? É uma das minhas preferidas.
      Nem me fala de Os Miseráveis. Estou super em falta com esse projeto. No meio de março pretendo retomar.
      Beijos <3

    • Jeniffer Geraldine Reply

      É uma leitura bem legal.
      Indico demais!
      bjão

  3. Jeni, eu lembro bem vagamente de ter assistido ao desenho também, nossa que sensação nostálgica esse post me proporcionou!!
    Bjão!

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Leia o original, Luke.
      A experiência é bem bacana tb.
      Bjão

  4. Oii Jen!
    Eu adoro esse livro também. Lembro que no final eu chorei tanto, agarrada com o livro. Me deu vontade de voltar a ser criança. Engraçado que hoje ainda estava pensando nessa sensação que às vezes bate forte (de querer ser criança novamente). Hoje estava ouvindo uma música que me remetia à pré-adolescência (LS Jack hahaha), e me deu um aperto tão grande no coração kkkkkk Gosto muito desses livros, músicas, filmes que me remetem ao passado.
    Beijos!

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Dani, somos 2.
      E recentemente aconteceu ouvindo músicas de Jota Quest.
      hauahua aslok
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate