Notas da semana 14 de 2021

Piscamos e já estamos na semana 14 de 2021, no dia 09 de abril. Gente, que rapidez! Acho tenso. Ainda mais levando em conta a sensação que tenho de quase sempre não saber que dia é hoje. Mas vamos lá!

Em 2016 eu comecei a fazer neste blog uma série de posts chamada As coisas boa da semana. A proposta era listar no fim da semana links que descobri na internet e fatos interessantes dos meus dias. Bem, eu parei né… Mas para 2021 eu tenho me reencontrado com uma Jeniffer das antigas e retomado algumas coisas que gostava de fazer. Então de sempre em sempre estarei por aqui compartilhando as notas da semana com a mesma proposta das coisas boas da semana.

> Voltei para o YouTube

E dessa vez eu sinto que será diferente. Estou colocando na frente o que quero fazer e no tempo que quero e desejo. Duas pessoas me motivaram de forma indireta a voltar, o Tiago, do Tira do Papel, e o Matt D’Ávella, youtuber e filmaker gringo (my love da produtividade, minimalismo e youtube. Sorry, Nat. Mas você me entende rs).

O vídeo do Tiago: EP. 01 | O Futuro da Criatividade x Redes Sociais: Inspiração e Referências
Vídeo do Matt: My Simple Productivity System

> O perfil da Natália no Instagram – “Um perfil sobre livros e outras coisas”

Um dos posts dela sobre música me lembrou uma das minhas músicas preferidas da vida. A música foi Some Nights, do grupo Fun.

> Série Dawson’s Creek na Netflix

Dawsons marcou minha adolescência como uma das séries que eu assistia os episódios repetidos no SBT, mas não me cansava de ver. Nunca vi a série completa mas me sentia conectada com os dilemas das personagens e sempre quis ver tudo do início ao fim. Aproveitei que estava querendo ver algo leve com sensação de conforto (impossível explicar mas é isso mesmo) e dei o play. Em parte também foi devido a empolgação de Marisa que assistiu tudo recentemente e já está com vontade de ver de novo (risos).

> Leituras: O Conflito (Elisabeth Badinter) e A rede de Alice (Kate Quinn)

Estou numa vibe de leitura lenta. Mas nos últimos dias consegui cumprir direitinho minha proposta de leitura diária: 30 páginas de O Conflito: A mulher e a mãe (Elisabeth Badinter) e 4 capítulos de A rede de Alice (Kate Quinn) – dá em média 30 pags também.

Elisabeth Badinter é uma das referências principais quando se trata de maternidade. Foi ela que levantou a questão importante sobre o mito do amor materno. Estou lendo para a escrita de um tópico da dissertação. E A rede de Alice é um romance histórico com espiãs. É uma leitura bem envolvente.

> Tentando sobreviver ao caos

Hoje de manhã, escolhi uma das músicas preferidas e dancei em frente ao espelho. Recomendo demais! A música escolhida foi Várias queixas, dos Gilsons – trio formado por José Gil, Francisco Gil e João Gil (filho e netos de Gilberto Gil).

Até a próxima!

Bom fds!

Espalhe por aí:
Escrito por Jeniffer Geraldine
Baiana, escritora, jornalista e professora. Apaixonada por livros, fotografia, séries, filmes, pôr do sol, olhar pela janela, música e viajar.