Qual a função da literatura?

Na edição de janeiro/2015 do Jornal Rascunho, Gustavo Czekster escreveu o ensaio Espelho negro em que questiona sobre a função da literatura. No início do texto, Czekster conta a história do livro Os Lusíadas, de Luís de Camões. Camões precisou escolher entre o livro e a amada, e “ao salvar Os Lusíadas, Camões tratou o livro como um objeto vivo, pensando nas dezenas de vidas que poderiam ser influenciadas pela sua obra. Ele não conseguiria viver sem a sua criação. É possível inclusive que tenha nadado ainda com mais afinco, sabendo que carregava consigo não um aglomerado de versos ou um pacote, mas a própria alma.”Continue lendo

Você tem problema com spoiler?

Lembro que antes da internet entrar na minha vida, lá pelos meus 15 anos, eu tinha o delicioso hábito de ler jornal impresso e um dos cadernos preferidos era o sobre televisão. Era inevitável, todo domingo lia o resumo semanal das novelas. Aliás, novela era minha grande paixão na televisão brasileira. Naquele tempo também não tinha TV a cabo em casa, então ainda não era uma louca por séries (apesar de ter as manhãs de domingo e as madrugadas de episódios repetidos dos seriados favoritos no SBT).

Eu lia o que acontecia nas novelas e isso não afetava em nada na minha vontade de ver os capítulos e era algo comum compartilhar com os amigos os resumos. Lá, no interior da Bahia, era tranquilo e parecia que para o Brasil inteiro também era, afinal existem milhares de revistas baratinhas que exibem semanalmente em suas capas os babados mais fortes das novelas.Continue lendo