Skip to content →

Tag: Literatura Infantil

As cores da escravidão – Ieda de Oliveira

Ieda de Oliveira é escritora, compositora e especialista em Literatura Infantojuvenil, com vários livros publicados sobre o tema no Brasil e exterior.

As cores da escravidão (96 páginas, Editora FTD), lançado em 2013, esteve entre os 10 indicados na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti 2014. Além de ter o selo Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, e fazer parte do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) do governo federal.

O livro conta a história de Tonho que sonhava em ter uma vida melhor. A avó Tonha contava histórias para o garoto e uma delas era sobre o Gato de Botas. Um dia, surgiu no bairro onde eles moravam o Gato Barbosa – homem que recrutava trabalhadores para empreitadas. Tonho, inocente, acredita que aquela é a chance de mudar de vida. E acaba seguindo viagem com o Gato e seu amigo João.

Deixe um comentário

Pollyanna e o Jogo do Contente

Sempre ouvi falar de uma tal “síndrome de Pollyanna” mas não sabia do que se tratava até me indicarem a leitura do clássico infantojuvenil Pollyanna, da escritora Eleanor H. Porter.

A história da menina Pollyanna foi publicada pela primeira vez através de capítulos em um jornal de Boston, no ano de 1912. Apenas em 1913, virou livro e tornou-se um sucesso editorial marcando a infância de muita gente. E em 1915, Eleanor escreveu a continuação Pollyanna Moça.

14 comentários

O Escaravelho do Diabo

Um serial killer, em Vista Alegre (SP), que mata apenas pessoas ruivas e antes envia como aviso um besouro. Essa é a premissa do clássico infantojuvenil brasileiro O Escaravelho do Diabo (128 páginas), da mineira Lúcia Machado de Almeida (1910 – 2005). O livro foi publicado pela primeira vez em 1972 pela famosa Série-Vagalume, da Editora Ática, e tem ilustrações de Mario Cafiero.

Deixe um comentário

O lado kids da força

Certa vez, rolando a dashboard do meu falecido Tumblr, achei um desenho muito fofinho de Darth Vader e a princesa Leia. Fiquei me perguntando quem era o responsável por essa proeza e acabei achando o cartunista Jeffrey Brown. Apaixonado pelo universo Star Wars desde criança, Brown foi convidado pelo Google para fazer um doodle de homenagem ao dia dos pais, o qual ele faria sobre a relação entre Darth Vader e Luke Skywalker, este último com apenas quatro anos. Por ser a mesma idade que o seu filho tinha na época, Brown teve a inspiração para os quadrinhos da sua própria experiência com a paternidade. Quando o Google desistiu da idéia, Brown aproveitou seus desenhos para criar um livro, Darth Vader e Filho.

Um comentário

Book Porn: Mary Poppins

Mary Poppins, da escritora P. L. Travers, mudou a vida das crianças Banks e encantou milhares de fãs, através dos livros e filme. Ao mesmo tempo que Mary vai educando – do seu jeitinho especial e ranzinza – os pequenos Banks, ela também nos ensina valores importantes: o respeito ao próximo, a importância das coisas simples da vida e do caminhar junto em busca da felicidade.

– Mas será que vocês não sabem – ela disse, passivamente – que cada um de nós tem a sua própria Terra das Fadas? (pag. 42)

4 comentários

Ana e Pedro – Cartas

Sim, outubro é o mês do horror, mas também é o mês das crianças e como boa medrosa que sou não vou me arriscar muito na literatura de terror e decidi ler uns livros infantojuvenis e é sobre um destes que quero falar hoje com vocês, Ana e Pedro – Cartas (Editora Atual).

Este é um dos livros que li na minha época de escola e me recordava pouquíssimo sobre ele, minha amiga que me presenteou havia dito que é um livro de cartas, e eu adoro livros epistolar, já até li e reli um outro (que devo contar em breve para vocês), mas este é completamente diferente, pois não existe qualquer interferência de narradores, o livro é todo composto apenas por cartas. Vamos tomando conhecimento da história e da vida dos personagens através das correspondências que acontecem entre os dois.

2 comentários

O Mágico de Oz – L. Frank Baum

Existem narrativas que são impossíveis de ler sem que um filme passe na cabeça ou sem aquela voz de tia que conta história para as crianças dormirem. O mágico de OZ do L. Frank Baum é uma delas.

Dorothy vivia no Kansas com sua tia Em e o tio Henry quando um ciclone atingiu a região levando a menina e a casa para um lugar distante, diferente, encantador e cheio de surpresas, a Terra de OZ – onde reinava um poderoso mágico que ninguém jamais vira, mas todos respeitavam e admiravam.

Deixe um comentário