ler e escrever, atos políticos

No quintal de casa em busca de luz e ar fresco para fugir de uma tosse irritativa – o médico que disse, e realmente é bem irritante. É primavera. Acho que escolhi o lugar certo. O short no varal dá um tom poético à cena, como definiu um amigo.Continue lendo

Essencialismo | “Menos porém melhor”

“Menos porém melhor” é uma frase que encontrei no livro “Essencialismo”, de Greg McKeown

Essa leitura me fez pensar bastante em minimalismo, um movimento amado e odiado em todo mundo. Mas para além de termos e categorias fechadas, seja minimalismo ou essencialismo, todos esses movimentos apontam para uma vida com significadoContinue lendo

Podcast e livro brasileiros | #JGindica

O podcast “Proibido fritar pastel”, produzido pela escritora e filósofa Liliane Prata em parceria com o escritor Gael Rodrigues, é um dos podcasts mais maravilhosos para mim porque mistura compartilhamento de experiências pessoais, literatura, filosofia e sotaques. Continue lendo

Sobre a escrita

Desde o ano passado que tenho feito as notas da vida e de estudos no formato digital. No início de 2019, surgiu a vontade de voltar a escrever com papel e caneta. Como estava confortável com o formato digital prático e acessível, continuei.

Continue lendo

Individualizar desejos

“Se você está falando de amigos ou familiares, pessoas que você admira ou despreza… Você tem que individualizar seus desejos dos deles de modo a honrar seu verdadeiro eu. Pode ser um processo emocionante e doloroso, mas quem quer ver ou ser uma orquídea negra que nunca se abre totalmente?”

Ouvi essa frase na Série “Ela quer tudo”, produzida e dirigida por Spike Lee, que tem como personagem principal Nola Darling (DeWanda Wise), uma artista negra do Brooklyn.

Continue lendo

Vixi, faltou luz!

Estava no meio de uma ligação, com o ventilador praticamente em cima de mim, quando de repente senti que aquele ventinho fresco havia parado de soprar no meu pescoço.

Quando me virei para checar o ventilador, ele não estava funcionando. Olhei para a impressora e ela havia desligado.

E, aí, a ficha caiu: vixi, faltou luz!Continue lendo

Para quê se lê?

“Para quê se lê e para quê se escreve além da sala de aula?”

Eu li essa pergunta numa entrevista sobre práticas de letramento com a professora doutora em linguística e mestre em educação, Marildes Marinho. Logo depois tive acesso a produções que iam me fazer pensar sobre a questão em diferentes contextos históricos e socioculturais. Além de reforçar para mim a importância da leitura e da educação na vida de qualquer pessoa.

Continue lendo

A dúvida dói mais que o fracasso?

Entre 2016 e 2017, eu li alguns livros que reacenderam o desejo de sair um pouco da concha, de tirar a armadura, de me mostrar mais ao mundo e ter coragem para viver alguns sonhos.

Eu li o Grande Magia – Vida criativa sem medo, de Elizabeth Gilbert, O ano em que disse sim, de Shonda Rhimes, e O que eu sei de verdade, de Oprah Winfrey. Ler todos esses livros me motivaram a fazer mudanças significativas em minha vida. Continue lendo

Acessibilidade e existência

Em abril, fomos surpreendidos com uma decisão do presidente Jair Bolsonaro: a extinção de conselhos sociais. Circulou pelo WhatsApp a lista com mais de 600 órgãos de participação popular que podem ser extintos. Essa decisão antidemocrática me fez lembrar que lutamos por décadas por melhorias e basta uma assinatura para tudo desaparecer. Se for para fazer uma analogia com um fenômeno da cultura pop, posso falar sobre o estalar do dedo de Thanos, o vilão poderoso de Os Vingadores. O governo atual do Brasil está dizimando e apagando a existência de várias pessoas com canetadas. Continue lendo

“Agendar a vida”

Gosto sempre de ler algum livro de desenvolvimento pessoal. Muita gente deixa esse tipo de conteúdo de lado porque considera autoajuda e tem preconceito com a categoria. Mas, por experiência própria, sei que no meio de algumas receitas milagrosas há sempre aqueles livros que se destacam e trazem mensagens e dicas interessantes.Continue lendo