Saga de uma mestranda #4 – As aulas começaram e…

Saga de uma mestranda #4 – As aulas começaram e…
Deixei claro, desde o início, que o meu objetivo é me dedicar exclusivamente à carreira acadêmica. Dessa maneira é fato que eu ia tentar a seleção de bolsista.

Obs: o texto é o roteiro base para o vídeo (no final do post) e áudio (disponível no player abaixo) 

A bolsa para mestrado, alguns podem entender como ajuda de custo, mas na verdade eu vejo como um salário de pesquisador. Um pouco mais que um salário-mínimo, sem carteira de trabalho assinada, sem vale transporte ou vale refeição. Hoje quando vejo muita gente criticando as bolsas de pós-graduação, me pergunto: eles sabem como funciona?

A bolsa exige dedicação exclusiva ao mestrado. Você não pode ter nenhum vínculo empregatício. E na seleção até o extrato da sua conta bancária pedem.

O bolsista vai trabalhar para o curso. A bolsa não é para ficar em casa escrevendo a dissertação. No caso da instituição que estudo, o bolsista está ligado aos laboratórios de produção e pesquisa. Então temos eventos para organizar, livros e e-books para editar e produzir, pesquisas de campo para fazer, várias outras atividades, além da dissertação, das tarefas das disciplinas e da própria produção acadêmica que tem que existir porque é obrigatória.

Sou mestranda e bolsista atualmente. E para mim conquistar essa bolsa foi maravilhoso, porque depois de dois anos sem trabalho fixo vou receber um salário. Vou ter dinheiro para livro, xerox, qualquer despesa básica de estudante, e também para participação em congressos e seminários.

Sou bem privilegiada por ter ajuda da família. Por fazer a faculdade no lugar em que tenho casa para ficar. Porque tem pessoas que precisam dessa bolsa para pagar aluguel ou transporte para se deslocar de um município para outro.

Mas quero deixar bem claro: A bolsa não é mesada, nem caridade. É direito do estudante pesquisador, investimento na educação e consequentemente no país.

As aulas começaram em março. Já tínhamos ouvido falar que fazer mestrado dói e coisas do tipo. Mas a minha turma estava bem empolgada.

As aulas no mestrado são bem discursivas e giram em torno de apresentação e discussão de textos. O professor não vai escrever a aula do dia no quadro para você tirar foto. Existe uma ementa com textos obrigatórios e extras. Os obrigatórios são divididos por grupos para apresentação semanalmente. Então o temível seminário da escola e da graduação é o básico na pós e todo mundo tem que participar.

Ao final da matéria, temos que entregar um artigo com base nas leituras feitas, fazendo ligação ou não com o tema de pesquisa.

Mas uma semana depois do início das aulas, levamos um balde de água fria: greve. Que já dura mais de cinquenta dias.

Pois é…

O período de greve coincidiu também com o período de cortes na educação. Eu e meus colegas bolsistas sofremos ansiosos para saber se nossa bolsa ia realmente sair. E se sair, será que vai ser cortada até o final do ano?

Não temos como saber. Por enquanto respiramos um pouco aliviados porque já vimos nossos nomes no diário oficial. #oremos

Imagina aí que para uma pessoa ansiosa, essa não deve ser uma boa situação. Na real, não é para ninguém. Fazer mestrado sem bolsa não é algo impossível, mas é algo extremamente mais estressante.

Imagine que temos aula quase 3 dias na semana. Como conciliar um trabalho formal nesse esquema? Conheço pessoas que diminuem a carga horária no trabalho, e claro o salário, para se dedicar a esses dois trabalhos. E isso só é possível se você tiver um empregador que compreenda a situação.

No momento, sigo a saga da mestranda participando dos atos à favor da educação e tentando manter uma rotina de estudos em casa. Estamos sem aula, mas diferente da graduação não há prorrogação do período do curso. O mestrado precisa ser feito em dois anos e esse tempo já está correndo.

#oremos mais uma vez

A saga continua…

Até o próximo episódio!

 

Conteúdo em vídeo:

Saga de uma mestranda é uma série especial de conteúdo sobre minha experiência como estudante de pós-graduação em nível de mestrado.

O que mais você quer saber dessa saga ? Eu já tenho alguns temas para posts mas deixe sua dúvida ou curiosidade nos comentários.

Publicado porJeniffer Geraldine

escritora, jornalista, mestranda em crítica cultural


4 Comentários

  • Gabriela Soares

    07/06/2019 at 15:27 Responder

    Putz, Je! #Oremos mesmo, né? De qualquer forma, sei que vai dar tudo certo no final e vou estar aqui torcendo por ti <3

    Um beijão,
    Gabs | likegabs.com.br

    • Jeniffer Geraldine

      09/06/2019 at 09:35 Responder

      Obrigada, Gabs! bjão <3

  • BA MORETTI

    21/06/2019 at 20:25 Responder

    torcendo aqui pra que as coisas se estabilizem e essas merdas parem de acontecer né? its gonna be ok ♥

    • Jeniffer Geraldine

      22/06/2019 at 08:56 Responder

      obrigada pela torcida!
      #tamojuntas <3

Deixe um comentário