reinventando os dias reinventados

todo dia aqui neste local. com o look quase sempre igual. shortinho e camisete prezando o conforto e espantando o calor. com o word ou google docs aberto. um pouco de dissertação. um pouco de criação de conteúdo. a rotina reinventada várias vezes. já me apeguei demais a lista de tarefas. recriei a Dashboard do Notion. testei aplicativos. mudei a bio do Instagram. amando a dissertação num dia, enjoada dela no outro. como disseram nos últimos dias, “cansada de estar cansada”. mas ainda estou aqui. reinventando os dias reinventados.

[e lendo Manoel de Barros:

Retrato do artista quando coisa

A maior riqueza

do homem

é sua incompletude.

Nesse ponto

sou abastado.

Palavras que me aceitam

como sou

— eu não aceito.

Não aguento ser apenas

um sujeito que abre

portas, que puxa

válvulas, que olha o

relógio, que compra pão

às 6 da tarde, que vai

lá fora, que aponta lápis,

que vê a uva etc. etc.

Perdoai. Mas eu

preciso ser Outros.

Eu penso

renovar o homem

usando borboletas.]

Espalhe por aí:
Escrito por Jeniffer Geraldine
Baiana, escritora, jornalista e professora. Apaixonada por livros, fotografia, séries, filmes, pôr do sol, olhar pela janela, música e viajar.