Reflexões literárias numa manhã de quinta – Projetos de leitura para 2022

Em novembro, senti a necessidade de diminuir o ritmo das leituras. A minha piriguetagem literária (ler vários livros ao mesmo tempo) estava altíssima. E minha cabeça pediu um tempo. Então saí pausando e abandonando vários livros.

Mas também aconteceu de me apaixonar pela série A Roda do Tempo, da Prime Video. A produção é adaptação da saga literária homônima, de Robert Jordan, que possui 14 livros publicados. Relembrando de experiências anteriores com O Senhor dos Anéis e A Guerra dos Tronos, decidi embarcar nessa aventura literária agora pois se deixar para depois a motivação vai embora. E eu queria muito ter a experiência de leitura completa de uma saga literária épica. Quer dizer, espero que seja completa (risos).

O primeiro livro é O olho do mundo – A Roda do Tempo e tem mais de mil páginas. Já li 8%. Escolhi ler no formato Kindle para não cometer o mesmo erro de As Crônicas de Gelo e Fogo – A Guerra dos Tronos. O meu erro foi ter comprado um box com 5 livros e simplesmente não ter me envolvido com a leitura tanto quanto consegui me envolver com a série de tv. Acredito que muitos fatores contribuíram para isso, como a edição escolhida – box pequeno, e porque comecei a ler os livros com umas três temporadas já vistas. Logo, não consegui ler os livros sem as lentes da série de TV. Entende? Eu não quero ter mais um box de livros abandonado na estante! Por isso estou indo com calma.

E, falando em calma, como comentei no início desta reflexão, eu havia decidido diminuir a quantidade de leituras por vez. Mas agora estou sentindo vontade de ler uma ficção mais leve e com final feliz. Faz tempo que quero ler algo assim. Sempre brincamos no Clube do Livro Alagoinhas que não conseguimos ler algo com um final feliz clássico. Aquele tipo em que chegamos na última página do livro com a certeza de que as personagens tiveram um final feliz mesmo.

Essa vontade me fez questionar: ué, Jeniffer, duas ficções ao mesmo tempo? Você não está voltando para piriguetagem literária com muita sede?

É…

Um registro de 2020 do momento sol e leitura

Leitura por período do dia

Mas vamos lá! Eu sempre li pelo menos dois livros ao mesmo tempo, um de ficção e outro de não ficção. A separação ficava quase sempre por período do dia. De manhã era não ficção e meio dia ou de noite era a vez da ficção. E tomava cuidado para não ultrapassar esse limite que eu acho bacana de manter e também não ler duas ficções ao mesmo tempo para não misturar as histórias.

O que aconteceu em novembro foi que eu estava lendo muitos livros de não-ficção e fazendo isso em apenas um período de tempo. Exemplo: separava 1h30 de manhã e ia lendo pelo menos uns 30 minutos ou uma quantidade de páginas de cada livro. Comecei a perceber que eu ficava mais preocupada com o tempo e rapidez do que com o engajamento na leitura. Foi interessante a experiência porque percebi que não funciona comigo.

Sendo assim, resolvi voltar para algo que funciona para mim que é separar a leitura por período – leitura matinal e leitura para tarde/noite. No geral, acabo escolhendo um livro de não ficção para leitura matinal. Estou com a cabeça mais tranquila e consigo apreender melhor. E para tarde ou noite pego a ficção como um momento relax do dia (nem sempre relax mas você entende, né? rs).

Esse é um tipo de piriguetagem literária moderada. Estou sempre com 2 livros, de temas distintos, e objetivos diferentes. Não causa sobrecarga na minha cabeça. E após quase 4 anos de muita leitura e estudo, por conta do mestrado (aluna especial + período regular), é exatamente o que preciso. Quero levar esse ritmo para 2022. E vou compartilhando as mudanças por aqui.

Leitura de final de semana

Algo que também quero testar é ter uma leitura de final de semana que é justamente para esses livros maiores, como A roda do tempo. Eu sempre tive problemas com calhamaço. Não sei explicar (mentira, eu sei sim! rsrsrs). O máximo que já cheguei foi em quase 600 páginas. Passou disso, eu olho torto. Tentei implementar a leitura de final de semana em 2021 mas não rolou. Estou quase achando que foi o livro escolhido, Os Miseráveis. Eu já tentei fazer essa leitura duas vezes e não vingou! Deixei para lá. Sou apegada ao hábito da leitura mas não tenho problema nenhum em abandonar livros.

Sendo a leitura de final de semana um clássico ou uma fantasia épica, como é A Roda do Tempo, fica mais tranquilo de conciliar com uma literatura mais contemporânea, uma literatura pop.

Eu já listei alguns livros para ler em 2022, seguindo essa proposta de leitura por período. Fiz minha listinha de não-ficção colocando livros de temas que tenho interesse em conhecer e aperfeiçoar no ano. E fiz uma lista de ficção com alguns livros que estão parados na estante. Alguns deles devem entrar para leitura de final de semana. Além disso, faço parte de dois clubes de leitura – o Clube do Livro Alagoinhas e o Acampamento Vida Organizada.

Para finalizar a reflexão preciso dizer (e até reforçar para mim) que nada aqui é fixo. Se tem algo que respeito bastante na leitura é o que costumo chamar de “atender chamados”, quando um livro grita na estante para que você leia logo ou passe mais tempo com ele do que com qualquer outro.

Espalhe por aí:

1 Comentário

  1. […] mais um pouco delas no final de semana. E por falar no final de semana sigo com a ideia de ter um livro para o final de semana. Vai ser aquele calhamaço ou uma série literária que sempre quis ler e não comecei ou […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *