Querido Evan Hansen | Filme

Evan Hansen (Ben Platt) é um adolescente tímido e diagnosticado com ansiedade e depressão. Uma das suas atividades terapêuticas é escrever cartas para si mesmo. Então todos os dias Evan abre uma página no aplicativo de notas e inicia uma carta com “Querido Evan Hansen”. Até que um dia, um outro garoto da escola, Connor (Colton Ryan), pega uma de suas cartas. Connor é um garoto antissocial e com o selo de “problemático da escola”. Acontece que logo após isso, Connor comete suicídio e a sua família encontra com ele a carta de Evan que logo é tratada como uma mensagem final de Connor para esse suposto grande amigo.

A partir dessas tristes e estranhas coincidências, o filme Querido Evan Hansen aborda temas importantes para a juventude contemporânea: saúde mental, pertencimento, relações afetivas e familiares.

Connor e Evan

Evan tinha uma grande carência afetiva, sem amigos reais, ausência do pai e a distância da mãe por conta do trabalho, o garoto não pensa duas vezes em embarcar na história em que é um grande amigo do falecido Connor. Para tanto, o rapaz cria uma narrativa em que Connor realmente se torna o amigo que sempre sonhou em ter. E passa também a alimentar o luto da família com histórias divertidas e especiais das aventuras dos dois garotos.

O filme é do gênero drama musical. Não sou muito fã de musicais, até o momento Moulin Rouge e La La Land são os meus preferidos. Mas Querido Evan Hansen transforma os diálogos entre os personagens principais em músicas que não quebram a narrativa e deixam tudo emocionante. Por sinal, vale mencionar que a produção é uma adaptação cinematográfica do premiado musical da Broadway Dear Evan Hansen. E que também já ganhou um livro homônimo, publicado no Brasil pela Editora Seguinte.

Percebo também a importância do filme ao tratar sobre depressão na fase adolescente pois muitas vezes a doença é ignorada por conta dos esteriótipos da fase – rebeldia, momento complicado de crescimento etc.

Após o suicídio de Connor, Alana (Amandla Stenberg), uma garota super engajada em causas sociais, procura Evan para juntos criarem o The Connor Project, um grupo de apoio aos adolescentes que se sentem excluídos, tristes e sozinhos. Para mim é um ponto alto do filme porque além de estimular a criação de um canal de escuta e acolhimento, também há o incentivo do uso das redes sociais para essa finalidade. É uma forma positiva de utilizar as tecnologias digitais, já que hoje um dos principais pontos de bullying e gatilho para ansiedade, baixa autoestima, é a internet.

Evan e Alana

Querido Evan Hansen ainda tem no elenco Amy Adams como Cynthia, mãe de Connor; Julianne Moore interpretando Heidi, mãe do Evan; Kaitlyn Dever no papel de irmã do Connor, a Zoe; Nik Dodani como Jared, “o amigo por família do Evan”; e Danny Pino, no papel do padrasto de Connor, o Larry.

Vale a pena ouvir a trilha sonora do filme

CVV – Centro de Valorização da Vida

Se precisar de ajuda, por favor, procure familiares, amigos, pessoas confiáveis e também movimentos e especialistas. No Brasil, temos o CVV – Centro de Valorização da Vida com atendimento gratuito por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. O número é o 188. No site oficial há espaço para pesquisar um posto de atendimento mais próximo de você – clique aqui!


Título original: Dear Evan Hansen

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 131 minutos

Minha classificação: ⭐️⭐️⭐️ (Bom)

Onde assistir: Cinema


Espalhe por aí:

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 comentários em “Querido Evan Hansen | Filme

  1. Excelente texto e observação sobre a influência das redes sociais como fomento de apoio. Alana realmente tem parte significativa no filme. Eu amei a experiência de conhecer a obra pelo cinema e agora vou ler o livro.

    • Obrigada, amigo! <3 Sabe que também fiquei com vontade de ler? Vou pensar seriamente nisso rs bjão

  2. Jenni, acho bacana como os textos sobre um mesmo filme são tão diferentes, com foco em abordagens distintas. Rs. Gostei muito como você descreveu os dramas do filme e por ter colocado ao final, o canal de acolhimento para quem precisa de ajuda. Obrigada ♥

  3. Pingback: Notas de novembro/2021 - Jeniffer Geraldine