Pequenas atitudes, Grandes mudanças

Você consegue fazer tudo relacionado ao trabalho, à família e aos amigos, mas quando é algo para você, pro seu bem-estar é um fracasso total. Não consegue manter e nem cumprir as metas do ano de ir para academia, de ler mais, de se divertir, etc. Quando é algo para outra pessoa, você faz com agilidade e eficiência, mas quando é para você a procrastinação toma conta.

Se esse é seu cenário. Então você é hoje o passado da executiva Caroline L. Arnold, que mudou a vida quando passou a adotar microrresoluções. Ao invés de olhar pro macro, Caroline passou a olhar o micro e com pequenas atitudes conquistou grande mudanças.

Em 2014, Caroline publicou o livro Pequenas Atitudes, Grandes Mudanças para compartilhar sua experiência de desenvolvimento pessoal e apresentar o sistema de microrresoluções com seus exemplos práticos e de vários amigos que adotaram o modelo de organização e produtividade.

O propósito deste livro é ensinar a converter amplos objetivos pessoais em microrresolucões que possam ser administradas, mensuradas e mantidas. Uma microrresolução é um compromisso poderoso e compacto que se assume quando há intenção de mudar certo tipo de comportamento, e ele gera benefícios imediatos.

As microrresoluções trazem recompensas imediatas, elevam a nossa autoconsciência e energizam nossos esforços de autoaperfeiçoamento. Porque ao invés de ficarmos esperando atingir um objetivo maior, nós vamos conquistando dia após dia pequenas vitórias, novos hábitos e pensamentos. Mas antes de traçar uma microrresolução precisamos definir o que queremos atingir realmente. Desejamos demais, mas esquecemos de transformar esse desejo em meta, ou seja, em algo alcançável, real, que pode ser medido, planejado e ajustado.

As microrresoluções se concentram em fazer, e não em ser. Ser diferente é o que vem depois, e não antes, da ação intencional.

Exemplo: queremos SER organizado. Mas o que podemos FAZER para se tornar alguém organizado? Devemos colocar em prática ações claras de organização, uma por uma, até começarmos a fazer automaticamente e então seremos o que chamam de “pessoa organizada”.

Caroline defende que todos nós somos movidos por um sistema de hábitos e preferências que são cultivados desde o nascimento. Então não é tão fácil mudar da noite para o dia. E muito do que fazemos hoje é no modo automático porque fomos condicionados a isso desde cedo. Logo para que qualquer mudança aconteça precisamos de muita força de vontade para que um novo hábito seja inserido no nosso modo automático.

O sistema de microrresoluções, por sua vez, é uma abordagem que parte do mais simples até atingir o mais complexo, concentrando-se em uma ou duas mudanças comportamentais significativas até que elas sejam absorvidas pelo piloto automático e não exijam mais nenhum esforço deliberado – ou força de vontade – para se sustentar.

A transformação é um processo, não um acontecimento.

Sejamos pacientes. Nada acontece da noite pro dia e não vamos nos tornar pessoas organizadas em um passe de mágica. É um processo gradual de adquirir novos hábitos. Precisamos repetir passos para tornar algo permanente. Ao cumprir cada microrresolução proposta, chegaremos ao objetivo final: ser organizado, praticar atividade física, ler 3 livros por mês, jantar 3 vezes na semana com a família.

E precisamos ter em mente que é impossível mudar a vida por completo também. Quanto mais mudanças queremos fazer mas podemos nos perder, nos sentir pressionados e não sair do lugar. Então vamos com calma.

Microrresoluções na prática

Então, certo, mas o que seria na prática as microrresoluções?

Caroline traz exemplos próprios para deixar mais claro. Ela tinha o objetivo abstrato de ser organizada, mas pensou que atitude concreta poderia adotar para realmente ser organizada? Examinou os motivos que a falta de organização a deixava estressada. Um deles era não encontrar as anotações. Tomou como microrresolução adotar apenas um caderno para todas as suas anotações. Outro objetivo abstrato: perder peso. Tomou como microrresolução não comer os doces servidos durante as reuniões do trabalho.

Deu pra entender? Começa pequeno. Quando sentir que a microrresolução se tornou um hábito real, parte para próxima.

Não se preocupe em elaborar uma lista exaustiva; apenas identifique uma ou duas mudanças comportamentais que façam diferença. Lembre-se: você não está tentando deixar tudo brilhando de uma vez, mas apenas identificando uma discreta mudança de comportamento que vai colocá-lo no caminho certo para a casa arrumada.

Algumas regras das microrresoluções:

  1. Uma microrresolução é fácil – não tome resoluções que não vai conseguir manter
  2. Uma microrresolução é uma ação explícita e mensurável
  3. Uma microrresolução traz uma recompensa imediata
  4. As microrresoluções são pessoais
  5. Uma microrresolução deve repercutir

O método proposta pela Caroline é bastante interessante. O livro é recheado de exemplos e abrange quase todos os âmbitos da vida, inclusive há capítulos focados em boa forma. Comecei a aplicar as microrresoluções para atividades físicas e organização sempre lembrando que é um processo, e não uma mágica.

Lembre-se o objetivo é o autoaperfeiçoamento sustentável, e não uma ação drástica repentina (como as resoluções de ano-novo).

Espalhe “Pequenas atitudes, Grandes mudanças” por aí! 😉

6 Comentários

  1. é o tipo de livro que mereço/devo ler com urgência para me organizar e conseguir ter tempo para quase tudo :~ mudança é 90% das vezes difícil e, pelo tudo que disse, esse livro parece baita ajudar.
    :*** muá

    • Jeniffer Geraldine Reply

      A técnica é ótima! E ajuda sim. O livro traz vários exemplos, então temos noção do que podemos fazer.
      Leia sim. Creio que vai te ajudar.
      Bjão

  2. Oi Jen,

    Eu li uma resenha sobre esse livro é já tinha ficado interessada. Olha, eu estou muito tentada a acreditar nela porque, eu sempre me organizo e faço grandes planos mas realizo bem poucos. Acho que foco muito no grande e me perco nas pequenas coisas. Vou ver se encontro em versão ebook.

    Bjs
    http://www.belsantanna.com/

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Eu também me perco planejando alto, Bel. Mas desde quando comecei a ler esse livro que estou mudando meu foco. Estou conseguindo alguns resultados. Tem que ter paciência também. Hahaha
      Bjão

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Aline, acredito que ele pode te ajudar.
      Leia!
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate