Parada imaginada

Parada imaginada

tranquila ela dormia.
cansada?
sisuda.

chinelo do lado. do jeito que chegou ficou. se ajeitou, se recostou, dormiu?
quanto tempo de espera?
quanto tempo de sono?
quanto tempo de ida e de volta?
quanto tempo de vida?
marcas do tempo ou marcas da vida?
espera o tempo passar ou espera a vida passar?

que mania essa de imaginar a vida de quem só dorme esperando a próxima partida.

e esse rapaz, quem será? filho dela?

Foto: Terminal Rodoviário de Salvador (BA) em 15 de dezembro de 2017
FotoCrônica publicada no Instagram @jeniffergeraldine

Publicado porJeniffer Geraldine

Jornalista. Uma leitora apaixonada por arte, cultura e a vida.

Sem comentários

Deixe um comentário: