Minimalism: um documentário sobre as coisas importantes

Destralhar é uma palavra que entrou no meu vocabulário e na minha vida tem pouco tempo. Significa, no geral, se desfazer de coisas (roupas, objetos, etc) que estão acumuladas em casa sem nenhum uso. A ideia, antes de se desfazer de algo, é questionar se aquele objeto/sentimento é realmente necessário na sua vida. E se perguntar sobre isso diariamente, a cada momento em que sentir a necessidade de comprar algo, pode ressignificar o seu modo de consumo.

Destralhar está relacionado à filosofia Minimalista, que defende “qualidade ao invés de quantidade” e, claro, uma vida com mais propósito e mais próximo da sua essência e não do que querem que você seja.

Em 2016, foi lançado nos EUA o Minimalism: um documentário sobre as coisas importantes, dirigido por Matt D’Avella e com os Minimalistas Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus no elenco. Joshua e Ryan são dois caras com carreiras bem sucedidas mas que não se consideravam felizes. Eles começaram a não enxergar mais sentido em viver apenas por um bom salário e para ter coisas.

O movimento Minimalista critica o consumo exagerado como forma de felicidade. Somos influenciados pelas mídias a comprar cada vez mais, muitas vezes sem precisar e quase sempre nos enchendo de dívidas, só para ter o valor social, um status, diante de amigos e sociedade. Trocar de celular e de carro a cada lançamento, ter as roupas da moda, morar numa casa com 30 cômodos – precisamos realmente de tudo isso? Isso é realmente sinônimo de felicidade?

O documentário apresenta histórias de pessoas adeptas do minimalismo, além de pesquisadores do comportamento humano para criticar o chamado “sonho americano”, o marketing, o consumo excessivo e outras questões relacionadas a esses temas.

Interessante também é que a produção, principalmente através de Joshua e Ryan, deixa claro: a ideia de ser minimalista não é ditar como você deve viver e se relacionar, mas fazer você refletir.  É possível viver mais livre quando se passa a ter mais consciência sobre o que deseja consumir.  E a questão não é viver com mais ou com menos, mas sim em equilíbrio.

Tudo bem colecionar livros/sapatos/bolsas/CDs/DVDs, mas questione: são essenciais na minha vida?

Cada coisa serve a um propósito. Quando você começa a colocar em prática isso, há grande chance de perceber que suas prateleiras estão cheias de vazio.

  • Minimalism: um documentário sobre as coisas importantes está disponível na Netflix

Espalhe “Minimalism: um documentário sobre as coisas importantes” por aí! 😉

 

7 Comentários

      • Jeniffer Geraldine Reply

        Laurita, no documentário há exemplos de famílias que seguem o movimento. Eles dizem que não é fácil, mas vão tentando se adaptar da melhor maneira para todos.
        bjão

  1. Tô doida pra assistir esse documentário e praticar isso também. Nunca fui muito de acumular coisas, mas o consumismo me pegou de jeito. E não gosto disso.

    • Jeniffer Geraldine Reply

      O doc é muito bom! Vale a pena.
      E nem me fale em consumismo. Estou tentando ao máximo me controlar rs
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate