Melhores leituras até agora/2020 + Organização no Notion

Início de novo semestre, é tempo de fazer balanço dos projetos. Um dos meus projetos pessoais é ler. Eu leio de tudo um pouco. Adoro ler ficção mas também leio bastante não ficção. E eu costumo sempre organizar tanto os livros que já li, como os livros que quero ler. Então, hoje, eu vou compartilhar as melhores leituras de 2020, até o momento, e também como estou utilizando o Notion para organizar os livros lidos.

Até o momento li 23 livros. Geralmente as leituras estão ligadas aos projetos literários que eu faço ou participo: Leia Mulheres, Biblioteca Feminista, Leia Brasileiros, Clube do Livro Alagoinhas, Desenvolvimento Pessoal, Pacto Literário.

Oito livros na lista de favoritos de 2020 até o momento:

O mundo que habita em nós – Liliane Prata

O Mundo que habita em nós entrou para lista de livros favoritos da vida e livros para reler sempre. O subtítulo é reflexões filosóficas e literárias para tempos (in)tensos. Com o subtítulo diz o livro traz muita filosofia e literatura, duas das minhas paixões, para nos fazer refletir sobre a vida e, principalmente, para que a gente realize mudanças em busca de um viver melhor. É uma ótima companhia para esses tempos de pandemia.

Método Bullet Journal – Ryder Carroll

Já falei bastante do Bullet Journal por aqui porque é um dos meus métodos de organização preferidos. A proposta do analógico e é algo que funciona muito para mim no dia a dia. Ler o livro do autor do método foi de fundamental importância para que eu esquecesse de todas as referências de bullet journal que há no Instagram e Pinterest e conhecesse o método direto da fonte original. Isso me fez perceber que o bujo é, antes de qualquer coisa, personalizável e eu posso fazer do jeito que se encaixa melhor na minha rotina.

Torto Arado – Itamar Vieira

Torto Arado também entrou para lista de favoritos da vida. É uma excelente leitura para pensar sobre subalternidade, silenciamento, ancestralidade, sobrevivência – através de uma prosa riquíssima que se passa nos ares da Chapada Diamantina.

Os sete maridos de Evelyn Hugo – Taylor Jenkins Reid

Os sete maridos… é daquele tipo de livro que você quer ler numa sentada porque a escrita é fluída e a autora sabe manter o leitor curioso para as próximas páginas. Evelyn era uma mulher famosa e rica que se casou sete vezes. Mas todos os casamentos foram arranjos de sobrevivência ou negócios da fama. A personagem descobriu jovem que o seu corpo era visto como objeto e passou a usá-lo como artifício para conseguir o que queria na vida. E dessa forma viveu rodeada de diversas formas de opressão de gênero. A autora no início do livro faz uma dedicatória para a filha e levanta a bandeira antipatriarcal. Evelyn é uma personagem que nos desperta todos os tipos de sentimento, às vezes vamos odiá-la, em outras vamos compreendê-la, mas no final nós vamos saber quem devemos realmente odiar: o mundo. Um mundo preconceituoso que fez com que Evelyn vivesse uma vida com um roteiro milimetricamente pensando em busca de sobrevivência.

Minimalismo Digital – Cal Newport

Já conversamos bastante sobre Minimalismo digital por aqui. É, sem dúvidas, um dos meus temas preferidos da atualidade. O livro do Cal me fez repensar ainda mais sobre o uso das tecnologias e o tempo que eu gasto nas redes sociais. Tem conteúdo especial para o livro e vou deixar o link também na caixa de informações.

O amanhã não está à venda – Ailton Krenak

Se você ainda não conhece Ailton Krenak, conheça! Vai fazer diferença no seu olhar para o mundo. Foi uma das leituras do início da quarentena, que me fez acalmar os ânimos e querer mudar algumas práticas. Um dos questionamentos centrais, pensando no contexto da pandemia, é: a humanidade será capaz de criar um novo normal? Abandonar seus condomínios e carros de luxo e a vida na cidade grande? Será que vamos aprender a viver com menos?

As coisas que você só vê quando desacelara – Haemin Sunim

Esse livro me fez companhia em muitos cafés da manhã no início da quarentena. Também foi uma leitura que trouxe acalento para esses tempos incertos e tensos. Haemin nos faz perceber que a vida com mais equilíbrio, escolhas mais solidárias com a gente mesmo e com os outros, nos faz ter menos medo do amanhã que virá.

Feminismo para os 99% – Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya e Nancy Fraser

Livro pequeno mas potente e essencial para quem estuda temáticas feministas ou para quem busca na teoria inspiração para uma prática mais política e consciente. Esse livro é um manifesto com onze teses que convocam “todos os movimentos radicais a se unir em uma insurgência anticapitalista comum”.

Conteúdo em vídeo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *