Malibu renasce (Taylor Jenkins Reid) – A primeira leitura de 2022

No final de 2020, decidi que iria escolher um livro com grandes chances de ser a primeira leitura sensacional de 2021. Deu certo! Escolhi A vida mentira dos adultos. Livro com bons comentários e de uma autora que gosto bastante, a Elena Ferrante.

Eu gostei da ideia e quis replicar em 2022. No final de 2021, comecei a pensar em qual seria o grande escolhido para abrir o caminho da leitura no ano que ia chegar. E o tal foi Malibu renasce, da autora norte-americana Taylor Jenkins Reid, publicado no Brasil pela editora Paralela, com tradução de Alexandre Boide.

Escolhi um livro da Taylor porque desde quando li Os sete maridos de Evelyn Hugo, em 2020, fiquei apaixonada pela escrita fluída e de certa maneira engajada da autora, por vezes até didática já que a Taylor assume um compromisso público contra a sociedade machista. Além de que a história de Evelyn Hugo é maravilhosa demais. Dá vontade de saber quem foi essa grande estrela que é apenas uma personagem fictícia. Assim como também dá vontade de ver a história adaptada para a tela.

Tudo isso que comentei sobre Os sete maridos de Evelyn Hugo se aplica para Malibu Renasce. E ainda tem um detalhe a mais que conecta os livros da autora – a história que conhecemos é dos quatros filhos de Mick Riva, um dos maridos de Evelyn.

Dito tudo isso, sim consegui repetir o feito de 2021 e comecei o ano com uma leitura sensacional. No primeiro dia de 2022, lá estava eu super empolgada, devorando as páginas, querendo saber mais sobre os irmãos surfistas Nina, Jay, Hud, Kit, o pai famoso e ausente, Mick Riva, e a “meiga e sonhadora” mãe, June Costas.

Os livros da Taylor são muito visuais. Impossível não querer ver na tela as cenas lindas em Malibu, a beleza dos irmãos Riva e todas as suas desventuras. Dessa maneira, ficamos imersos na história. Mesmo longe das páginas, lembramos das personagens, dos seus conflitos e desejos. Levamos a história como plano de fundo enquanto vivemos nossas vidas e esperamos o momento de, enfim, podermos sentar e continuar a leitura. Isso para mim é uma definição de literatura boa.

E por falar em conflitos, os irmãos Riva lidam com abandono afetivo do pai famoso e a morte repentina da mãe. São esses dois conflitos que vão guiar o amadurecimento dos irmãos e principalmente de Nina, a mais velha, que precisou assumir a responsabilidade pelo cuidado dos irmãos.

Eu poderia falar um pouco mais, mas não quero tirar as surpresas que você pode ter ao ler Malibu renasce. Ao passar das páginas, segredos são revelados, descobrimos o motivo do abandono parental e vemos a força do laço afetivo criado entre irmãos para sobreviver às desventuras da vida.

Algumas citações

Ele não era um homem decente. Não era um homem honesto. Não tinha nascido nem sido criado para ser um. Mas a mulher certa poderia salvá-lo. (p. 89)

As histórias de família se repetem, Nina pensou. Por um momento, ela se perguntou se valia a pena sequer tentar fugir disso. Talvez as vidas dos nossos pais fiquem gravadas dentro de nós, talvez nosso destino seja determinado pela tentação de reviver os erros deles. Talvez seja inútil tentar, é impossível fugir do sangue que corre nas nossas veias.
Ou.
Ou talvez todos sejam livres desde o nascimento. Talvez tudo o que já fizemos tenha sido determinado pelas nossas próprias escolhas.
Nina não sabia ao certo. (p. 189)


Adquira os livros citados na Amazon e contribua com a minha criação de conteúdo


Espalhe por aí:

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 comentários em “Malibu renasce (Taylor Jenkins Reid) – A primeira leitura de 2022

  1. Pingback: Leituras de janeiro/ 2022 - Jeniffer Geraldine

  2. Pingback: Melhores leituras 2022.1 - Jeniffer Geraldine - blog