Livros que deveriam ser lidos na escola

Os livros YA (young adult/ jovem adulto) abordam temas de interesse dos jovens, como bullying, preconceito, homossexualidade, primeiro amor, relacionamentos abusivos e novas mídias/ internet com linguagem leve e atual. Esses livros podem despertar o gosto pela leitura e proporcionar maior afinidade na sala de aula entre professores e estudantes.

Veja minhas sugestões de livros que deveriam ser lidos na escola:

A lista Negra – Jennifer Brown

Valerie Leftman e seu namorado, Nick Levil, tinham o hábito de escrever o nome das pessoas e coisas que eles odiavam na Lista Negra. Estavam ali desde as pessoas mais populares do Colégio Garvin, onde eles estudavam, até o pai de Valerie. A lista era uma forma de desabafo. Todas as pessoas listadas tinham feito algo com Valerie e Nick, zoações, brincadeiras de mau gosto, etc. Valerie era conhecida como Irmã da Morte e Nick era sempre zoado por causa de suas roupas e aparência. Eles haviam encontrado conforto e segurança um no outro e na lista. Pelo menos era isso que Valerie pensava até que um dia tudo mudou. >> Saiba mais

Amor amargo – Jennifer Brown

Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade… Em um retrato realista de um relacionamento conturbado, a autora Jennifer Brown – do sucesso A Lista Negra – nos leva até o limite de nossos sentimentos. (Sinopse do Skoob)

Extraordinário – R. J. Palacio

O livro conta a história de Auggie, um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Em um manifesto em favor da gentileza, ele enfrenta uma missão nada fácil quando começa a frequentar a escola pela primeira vez: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. (Sinopse do Skoob)

 

 

Persépolis – Marjane Satrapi

Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita – apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.
Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama – e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar. (Sinopse do Skoob/ Indico a leitura de “Uma infância diferente”)

Dois garotos se beijando – David Levithan

Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer. (Sinopse do Skoob)

 

As Vantagens de Ser Invisível – Stephen Chbosky

Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.

(Sinopse do Skoob)

O diário de Anne Frank

Seu diário emociona até hoje pessoas no mundo inteiro e relata os anos que viveu junto com sua família no Anexo Secreto, sótão de uma casa em Amsterdã, para fugir dos alemães. A casa hoje é o museu Anne Frank House e faz parte do Programa Memória do Mundo da UNESCO.

A primeira versão do diário foi lançada em 1947 por seu pai Otto Frank, único dos habitantes do Anexo Secreto que sobreviveu. Através das palavras de Anne temos noção do horror, medo e privações vividos naquela época. E ao mesmo tempo ficamos emocionados com seus sonhos, desejos e a esperança da vida pós-guerra. >> Saiba mais

Eleanor & Park – Rainbow Rowell

Rainbow nos leva para o ano de 1986. Sem computadores, sem as redes sociais digitais, sem smartphones. Fugindo do padrão de vários livros para adolescentes, pelo menos os que consigo lembrar agora, os personagens principais não são ricos, lindos e populares. Ao contrário, são super desajustados. Fora do padrão beleza e popularidade tão cultuado em várias produções para o público jovem. E, talvez, por isso faz tanto sucesso e agrade não só o público-alvo como outros públicos. Eleanor & Park são reais. Poderia ter sido eu, ou você.

>> Saiba mais

E se você tem mais alguma dica, deixa nos comentários! 😀
Espalhe “Livros que deveriam ser livros na escola” por aí! 😉

8 Comentários

  1. Amei e amei essa listinha, desses aí o favorito da vida é Extraordinário, Amor Amargo e A Lista Negra estão na minha listinha, preciso dar um jeito e ler eles. Acho que como tudo está mudando teríamos que mudar as leituras da escola também, abranger temas diversos.
    Adorei o post, beijos

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Você vai curtir os dois livros da Jennifer, Isa.
      Exatamente!
      bjão

  2. Oi Jeniffer, eu me lembro de ter lido O diário de Anne Frank na época do colégio e fiquei super impressionada. Gostei das suas sugestões, seriam ótimas leituras para despertar o amor pelos livros. <3

  3. Eu li alguns dessa lista: Persépolis tinha que se tornar obrigatóóório. As vantagens de ser invisível é bom demais, e conversa muito com adolescentes introspectivos. Eleanor & Park me deu gatilhos por causa do padrasto dela, mas é uma história que amei.

    Sim uhua eu assisti Like a Crazy *o*

    Com amor,
    ❤ bruna-morgan.blogspot.com ❤

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Persépolis é demais!
      Ai, sofri com a história do padrasto =/
      Like Crazy é um dos meus queridinhos da vida!

  4. Acho muito importante o contato com os clássicos, mas entendo que eles não são uma leitura fácil e exigem uma carga literária um pouco maior. Considerando que muitos alunos começam a ler na escola, nada mais justo que eles possam começar por algo que traga temas importantes da atualidade com uma linguagem mais simples para facilitar a identificação.
    Da sua listinha já li As Vantagens de Ser Invisível e o Diário de Anne Frank. Amor Amargo está aqui na fila porque falhei miseravelmente na meta de ler para o Nome Provisório Hahahaha
    Os outros estão naquela listinha de livros que você olha e quer ler um dia.
    Arrasou na lista!
    Beijos!

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Exato, Ana!
      Esses livros são ótimas para plantar a sementinha dá leitura.
      Amor amargo é bem angustiante, mas uma leitura boa demais.
      Bjão

Deixe um comentário:

Navigate