Skip to content →

#LeiaBrasileiros Livros nacionais para ler em setembro

No clima do mês da independência do Brasil, a galera do Telhado indica livros brasileiros para ler durante setembro. Confira:

O Vampiro que descobriu o Brasil – Ivan Jaff (Ática, 2009)
eloyAssim como eu, acredito que muita gente tem aquele livro para-didático da época da escola que adorou ler, né? No meu caso, Sempre tive problemas com essas leituras obrigatórias, mas ta aí uma obra que fugiu à regra. Acredito que a narrativa leve acompanhada de um argumento bem inusitado: um vampiro português que veio clandestinamente ao Brasil na época do descobrimento e, literalmente, vai descobrindo o Brasil conosco ao longo dos mais de 500 anos de nossa história. É desta forma que autor combina direitinho a ficção com a História. Aliás, essa combinação é sempre meu ponto fraco e sempre me conquista.
Quem tiver a fim de fazer um tour pela história do Brasil sem ficar entendiado, tenho certeza que não se arrependerá. E, por último, mas não menos importante: não precisa ser criança – nem gostar de histórias de vampiros – pra gostar da leitura! 🙂
ps: até hoje espero uma adaptação dele pro cinema :/

 Feliz Ano Velho – Marcelo Rubens Paiva (Objetiva, 2006)

celloUma leitura que possibilita diversas reflexões acerca do homem enquanto sujeito humano-histórico.
Um livro singular. Tanto pelo conteúdo apresentado quanto pela forma/linguagem que a história é narrada.
Para mim, uma leitura indispensável. Todos deveriam, pelo menos uma vez, lê-lo. Principalmente os filhos das gerações de 90′ para cá.

Talco de Vidro – Marcelo Quintanilha (Veneta, 2015)

alanOlá pessoal. Passando rapidinho por aqui só para indicar um quadrinho da melhor qualidade, escrito pelo brasileiro Marcelo Quintanilha. Trata-se de Talco de Vidro, lançado pela editora Veneta em 2015. A história se passa na cidade de Niterói-RJ, onde acompanhamos a rotina de Rosângela, uma dentista de classe média, casada e mãe de dois filhos. Possui a vida que muitos desejam, mas algo está fora de lugar e ela, na verdade, é frustrada. Ao longo da história vemos Rosângela descontar toda sua frustação em uma prima com quem conviveu desde pequena, e cujo sorriso, a incomoda. A partir desta constatação, acompanhamos uma trama psicológica que me fez lembrar os melhores filmes do gênero. Ritmo perfeito. Méritos do autor, que com uma história aparentemente simples me envolveu completamente. Recomendo muito.

As cem melhores crônicas brasileiras – antologia organizada pelo jornalista e cronista Joaquim Ferreira dos Santos (Objetiva, 2007)

thataSou apaixonadíssima por Crônicas e acredito que não exista um estilo tão brasileiro como este. E para comemorar essa data tão importante para o nosso país nada melhor que um livro de crônicas com as 100 melhores publicadas aqui em território nacional. Nessa coletânea encontramos autores como Machado de Assis, Lima Barreto, mas também encontramos alguns contemporâneos como Martha Medeiros, Luiz Fernando Verrísimo, Chico Buarque.

O livro é aberto como uma crônica maravilhosa de Machado de Assis, e fiquei muito impressionada, pois ainda não conhecia as crônicas do autor. São textos que nos contam a história de vários momentos do país, mas encontramos também aquelas que não têm qualquer pretensão, apenas nos trazer beleza para a vida. Por isso, hoje recomendo muito essa leitura, principalmente se você se encontra em um momento de ressaca.

Queria ter ficado mais – várias autoras (Lote 42, 2015)

anneQueria Ter Ficado Mais é um livro coletivo desenvolvido pela Editora Lote42 e escrito por 12 mulheres diferentes (entre elas: Barbara Heckler, Cecilia Araújo, Clara Averbuck e Livia Aguiar), que contam suas histórias em diferentes cidades do mundo. Os textos são lindos e te envolvem de um jeito diferente. As cartas são cruas e emocionais. O que acho mais lindo dessa edição, é que cada texto vem em formato de carta, então é como se uma amiga sua estivesse contando sobre a experiência dela em cada cidade. Por conta do formato, eu preferi ler como se fosse uma carta mesmo, então li uma  por dia, assim poderia me envolver melhor com a história e viver um pouco aquilo que estava sendo escrito. E ah, como um bônus, cada carta vem ilustrada pela Eva Uviedo.

Capitães da Areia – Jorge Amado (Companhia das Letras, 2009)

jenyCapitães da Areia é um livro escrito por Jorge Amado e publicado pela primeira vez em 1937. Mas muito do que se passa na obra de Jorge, nós encontramos ainda nas ruas da Bahia e do Brasil. Ao ler Capitães, o leitor se encanta e se comove com a história dos meninos pobres, sonhadores e corajosos que vivem em um trapiche de Salvador.  A crítica social é forte e atual. Indico esse livro para todos que querem conhecer a literatura de Jorge Amado.

Leia brasileiros! 😀

 

Publicado em Literatura

Comentários

Deixe um comentário: