[HQs que viraram filme] Kick-Ass: quebrando tudo

O título deste texto bem que poderia ser HQs de Mark Millar que viraram filme, pois seus quadrinhos parecem prontos para uma adaptação na telona. Fora Kick-Ass, vocês devem ter assistido O procurado, filme estrelado por Angelina Jolie e James McAvoy e Kingsman – Serviço Secreto com Colin Firth.

Lançado nos EUA, no final de 2008, Kick-Ass chegou ao Brasil em 2010 pela editora Panini em um encadernado que reuniu as edições 1 a 8 da revista Kick-Ass. O quadrinho é tão legal que me fez abandonar um resenha já programada e começasse a escrever sobre ele.

Na trama, acompanhamos o cotidiano do adolescente Dave Lizewski, um nerd convicto nada popular, apaixonado pela menina mais bonita da escola e que tinha um sonho maluco de se tornar um super-herói. Era um leitor ávido de gibis e enxergava as histórias como uma fuga para sua vida nada emocionante. Sua mãe faleceu quando ele tinha catorze anos, vítima de um aneurisma, e ele acabou sendo criado pelo o pai que tentava de todas as maneiras proporcionar-lhe uma vida melhor. Contada desta maneira, a história de Dave nos leva a imaginar aqueles dramas em que um jovem supera todas as dificuldades e se sobressai na sociedade, nos ensinando uma lição de vida. Blaaaaá!!! É exatamente aí que nos enganamos e nos deparamos com um baita roteiro e uma história muito, mas muito divertida. O ritmo criado por Millar não nos deixa largar a leitura.

Dave coloca seu sonho em prática e decide partir para a ação. Compra uma roupa de mergulho pela internet, com direito a máscara e tudo e começa a “patrulhar”. Seu primeiro desafio logo chega. Se deparou com três jovens pichando um muro e resolveu enfrenta-los. Apanhou até cansar, foi esfaqueado e já atordoado foi atropelado por um carro. Mesmo a beira da morte pensa no desgosto que deverá ter causado ao pai. Fica em coma no hospital por um tempo e faz diversas cirurgias, inclusive colocando três placas de metal na cabeça. Ao longo de sua recuperação, promete queimar todos os seus gibis e abandonar a ideia idiota de ser um herói, mas a promessa não se efetivou.

Sua vida é transformada quando em uma de suas patrulhas encontra um homem sendo espancado por uma gangue. Ele tem a “brilhante” ideia de salva-lo e em meio a muito sangue trava uma luta com os agressores. A luta, filmada por alguém que assistia a cena, foi parar no youtube, tornando-se sucesso de visualizações e levando a fama de Dave às alturas. Surgia um novo herói. Seu nome? Kick-Ass!!!

Logo torna-se uma celebridade na internet, inspirando pessoas a se fantasiarem como ele, entre eles o jovem Red Mist que tem uma grande importância na história. Kick-Ass tem uma página na rede e logo começa a receber diversos pedidos de ajuda. E justamente quando resolveu atender a um pedido aparentemente simples acabou conhecendo Big Daddy e Hit Girl, dois personagens fundamentais no desenrolar da trama. Pai e filha agindo contra o crime. Hit Girl é um personagem fantástico. Uma menina de 10 anos treinada em várias artes marciais e de posse de um verdadeiro arsenal. Na cena em que Kick-Ass a conhece ela utiliza duas espadas para tocar o terror e salva-lo de uma enrascada. A relação entre eles, a partir de então, se estreita. Big Daddy e Hit Girl levam o combate ao crime a sério e treinam para esta função, bem ao contrário de Dave que queria mesmo era ficar famoso.

Ao longo da história acompanhamos muito do dia a dia de Dave em casa, na escola, e em seu relacionamento com Kate e Red Mist. Arte perfeita de John Romita Jr e roteiro espetacular de Mark Millar. Violência, sangue pra tudo que é lado, nerdice e diversão garantidas. O volume 2 já está engatilhado. Bora ler Kick-Ass!

Até a próxima.

 

Você pode gostar também de

Comentários 2

    • Alan Nardi

      4 de setembro de 2015

      Responder

      Oi Vanessa,

      Kick-Ass é muito divertido e merece ser lido. O filme também é muito legal. Sobre Star Wars, tenho lido a revista mensal que sai nas bancas. Tudo que sai sobre o universo de Star Wars procuro ler e com esta revista não é diferente.

      Bjs.

Deixe uma resposta