Garota Exemplar – Gillian Flynn

Quando me deparei com o título Garota Exemplar, de Gillian Flynn,  até cogitei a hipótese de ser um romance cheio de amores ideais ou a história de uma garota certinha. Mas, fui pesquisar um pouco e logo encontrei a frase “O casamento mata”. Bem, aí eu já comecei a me interessar. E vi que era um suspense/drama daqueles que podiam me tirar o fôlego.

Confesso que as primeiras páginas foram bem maçantes, mas alguma coisa me dizia que aquela lentidão logo iria se transformar em algo mais animador ou assustador, como queiram.

Garota Exemplar conta a história de Nick e Amy, duas pessoas aparentemente normais, um casal feliz. Mas até que no aniversário de cinco anos de casados, Amy desaparece.

No início, Nick acreditou ser apenas mais um dos “caça ao tesouro” que a Amy preparava para comemorar o aniversário de casamento, mas não foi. E o que parecia uma suposta brincadeira, virou o pesadelo da vida de Nick, afinal ele foi apontado como principal suspeito do desaparecimento de sua esposa. E virou, também, o pesadelo da vida de Amy.

Nick e Amy são os narradores da história. Acompanhamos o dia a dia das investigações através de Nick e “conhecemos” os últimos sete anos do casal através de anotações feitas em diários escritos por Amy. Assim a narrativa mostra os dois lados, o que faz com que o leitor passe a odiar e amar as personagens ao ler cada capítulo. Essa troca de narradores nos apresenta  a rica construção do perfil psicológico de cada um feita por Gillian Flynn.

Vi o casal normal e feliz do início do livro se transformar em seres com frustrações e famílias problemáticas. O cara legal, Nick, se transformou em um sacana inseguro e confuso e a  garota mais doce, gentil, forte, a “Amy Exemplar”, da série de livros de sucesso escritos por seus pais, em uma louca disciplinada.

O livro nos leva a questionar se a pessoa ao nosso lado é realmente quem demonstra ser ou é apenas aquilo que deseja mostrar. São nas crises que você passa a conhecer quem dorme ao teu lado e é quando a rotina sufoca que você conhece a pessoa com quem casou.

E acredito que só depois de cinco anos Amy e Nick se conheceram e se entenderam de verdade.

A verdade é flexível; você só precisa escolher o especialista certo.

pag 212

… Ele me deixou ver suas deficiências, e me odeia por eu conhecê-las.

pag 215

Deixe um comentário:

Navigate