Skip to content →

Entre o ON e o OFF

Hoje acordei com a ideia de ter um day-off, ou seja, ia ficar longe das redes sociais, do celular, e me dedicar a outras atividades. A necessidade veio por conta de três fatores: meu Twitter continua monotemático (política); preciso dar conta de uma pilha de apostilas que está aqui do lado; e me questionei: tenho a necessidade de ficar compartilhando a cada hora minha vida nos stories do Instagram e de checar a vida dos outros a cada momento?

No mesmo instante que enumerei os fatores, levantei da cama, e desisti da ideia do day-off. Simplesmente porque eu não tenho necessidade de ficar ON, nem de ficar OFF. Acredito que dá para existir um entre o ON e o OFF. Um entre-lugar, um entre ser ON e um entre ser OFF, um equilíbrio, uma coexistência amigável entre essas modalidades.

Essa fala vem de uma ex-viciada em internet. Estou curada, meus irmãos. Que orgulho! Vem também de uma pessoa que trabalhou por quase nove anos com comunicação digital. E que sentia a necessidade de ficar 100% online porque tinha a ideia de que a qualquer momento uma crise podia surgir e a super-heroína das mídias sociais entraria em ação.

Nada é tão urgente que não possa esperar uma xícara de café. As notificações podem esperar, elas não somem em 24 horas. “Ah, mas, o story do Instagram, o status do Whatsapp somem em 24 horas”. E a nossa sanidade pode sumir por meses por causa de 24 horas.

Hoje sinto mais a necessidade de olhar pela janela do meu quarto, da minha sala, do carro, do que pela janela de notificações do meu celular. Aprendi que posso deixar de opinar pelo assunto do momento, que posso ler amanhã sobre uma notícia, posso rir de um meme tempos depois. O mundo está conectado, aliás o mundo é feito de conexões, mas existe a possibilidade de conexões diversas. Conectar-se com você mesmo, com um Deus, com o vizinho, com a família, com sua comida, com a natureza, com um livro, um filme, uma música, com o nada.

Não é desconectar do ON para conectar com o OFF, mas sim coexistir entre. É saber ir e voltar. Olhar a janela do quarto, olhar a janela de notificações. Sem pressa e sabendo apreciar o melhor desses lugares.

Conteúdo em áudio:

Conteúdo em vídeo:

Publicado em Crônicas Podcast Jeniffer Geraldine Vida

Comentários

Deixe um comentário: