Recentemente compartilhei a minha experiência de leitura do livro “Minimalismo Digital”, do Cal Newport. Aproveitei o momento para compartilhar de que maneira eu colocava em prática a proposta do minimalismo digital. Uma das formas é através do consumo de mídia lenta. Falei que não consumia mais informação diária através do ritmo frenético de algumas redes sociais digitais, como o Twitter. E algumas pessoas se interessaram em saber um pouco mais sobre as ferramentas e esse processo de consumo de mídia lenta.

Antes de falar dos feeds e das news que costumo acessar para me manter informada, gostaria de abordar algumas temáticas como FOMO e BURNOUT.

Eu trabalhei por quase 10 anos na área digital em assessorias, setores e agências de comunicação. E quem trabalha na área sabe que muitas vezes o profissional fica refém das atualizações constantes que são feitas nas ferramentas. Quase sempre surge uma novidade e é preciso rever a estratégia ou sugerir proposta para que o cliente saia na frente.

Naquele tempo, eu me sentia na obrigação de me manter atualizada. Trabalhei também por um tempo com curadoria e produção de conteúdo, o que demanda a busca constante por informação. Até que comecei a me sentir desanimada com a área e percebi que esse ritmo não era o meu. Estava fazendo um esforço enorme para me manter na onda. E como muitos sabem eu venho desde 2017 fazendo uma transição de carreira. O processo de transição também passa pela busca de novos hábitos que sejam mais saudáveis e estejam de acordo com o que quero para minha vida no todo. Rever o uso da tecnologia, minha presença na internet e o consumismo fazem parte do processo.

Talvez você já tenha ouvido falar em FOMO e em BURNOUT. Calma, eu não fui diagnosticada com FOMO e BURNOUT. Tive outros problemas. Mas vi muitos amigos e colegas de trabalho (e ainda vejo) com esses diagnósticos, por isso eu fiquei em alerta e comecei a levar ainda mais em consideração uma mudança da minha relação com a informação e a tecnologia.

FOMO E BURNOUT

FOMO – Fear of missing out, geralmente traduzido como o medo de perder algo, é uma síndrome desenvolvida pelo medo de ficar de fora, uma ansiedade gerada por achar que as outras pessoas estão a nossa frente de alguma maneira. Como já falei por aqui, nós vivemos em uma sociedade contemporânea de excessos mas que também é uma sociedade da escassez. Sempre falta alguma coisa, mesmo que tenhamos muito. “Ficar de fora” não é uma das expressões que queremos colocar em prática. E BURNOUT é a síndrome do esgotamento profissional, um estado causado por um cansaço extremo, esgotamento físico e estresse. São duas doenças que refletem a sociedade contemporânea globalizada, imediatista, capitalista e individualista.

Algumas maneiras de combater situações como essas são: buscar informação de qualidade; formar uma rede de solidariedade; e buscar o autocuidado.

Cal Newport, o autor de “Minimalismo Digital”, diz que o “Manifesto da Mídia Lenta defende que, em uma era na qual a economia da atenção digital empurra cada vez mais o clickbait em nossa direção e fragmenta nosso foco em pedaços emocionalmente carregados, a resposta correta é tornar-se atento ao consumo das mídias.”

Pensando em abraçar a mídia lenta para o consumo de informação de qualidade e na busca por autocuidado para respeitar meu tempo e meu ritmo, hoje eu utilizo uma ferramenta para fazer a curadoria dos sites que julgo boas fontes de informação e a assinatura de 2 newsletter, que são projetos independentes de conteúdo jornalístico.

FEELDY – APLICATIVO AGREGADOR DE NOTÍCIAS

Na página inicial do Feedly encontramos a mensagem: “Adeus sobrecarga de informações. Acompanhe os tópicos e tendências de que você gosta, sem sobrecarga.”

No aplicativo é possível: adicionar sites para acompanhar as atualizações; criar pastas para categorizar os sites por temas; marcar as notícias como favoritas ou para ler depois; enviar o conteúdo para alguém por e-mail ou compartilhar direto na sua rede social.

Existe uma seção chamada “today”, onde o aplicativo agrupa as principais notícias do dia conforme as visualizações. O aplicativo tem diversas outras funções interessantes, além de uma versão paga. Vou deixar o link na caixa de informações para que você possa conferir tudo.

NEWS – CANAL MEIO

Considero o Canal Meio o meu jornal diário. Sabe aquele hábito antigo que seus pais ou seus avós tinham ou tem de ler o jornal toda manhã no café. É exatamente isso que faço com o Meio. Só que ao invés de receber o jornal na porta de casa, eu recebo na caixa de entrada do meu e-mail.

Na página inicial do MEIO tem o seguinte: “O Meio é uma newsletter, sai de segunda a sexta-feira e chega de manhã cedo ao seu email. A leitura demora menos de oito minutos. E todas as notícias essenciais do dia estão ali, concisas. Da política ao que estreia no Netflix.”

Também existe uma versão premium. E com ela você recebe uma news especial aos sábados. E tem acesso a outras funções dentro do site.

NEWS – [a_nexo] tudo o que importa logo pela manhã

O Nexo é um jornal digital que tem a news “[a_nexo] trazendo tudo o que importa logo pela manhã”. É outra news que costumo verificar sempre. Eles compartilham matérias do próprio jornal mas também de outras fontes.

É dessa maneira que tenho consumido informação de qualidade. Fica o convite para assinar as news, testar o Feedly e abraçar o movimento da mídia lenta em busca de qualidade de vida.

 

Conteúdo em vídeo:

“Como consumo informações | #minimalismodigital” é o episódio #9 do JGCast. Confira nas plataformas abaixo: 

2 Comentários

  1. Carlos 12/07/2020 às 19:37

    Amei o conceito de mídia lenta e, mesmo sem ter tido contato com ele antes, já vinha fazendo um movimento nesse sentido para amenizar a ansiedade em tempos de isolamento.
    Ainda uso o twitter, mas um pouco menos e tenho me informado pela newletter do El país, preferencialmente.
    Obrigado pelas dicas, vou dar uma conferida nelas

    Resposta
    1. Jeniffer Geraldine - Arquivos do autor 13/07/2020 às 16:45

      Também adorei esse conceito. Gosto muito do conteúdo do El País. Acompanho pelo Feedly. Obrigada pela visita! Abs

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *