5 livros nada óbvios para ler de Agatha Christie

A Jeniffer, do Subindo no Telhado, me deu uma missão quase que impossível, escolher cinco livros favoritos de Agatha Christie, a nossa rainha do crime. Então… Depois de pensar e repensar irei falar dos meus queridinhos aqui:

a terceira moçaA Terceira Moça, o primeiro da lista é o meu favorito por que foi o livro que me fez conhecer Agatha Christie. Na época eu não sabia quem era a escritora e nem quão famosa era, por isso, anos depois voltei a ler este romance e contínuo na defesa que ele é um dos melhores.

A Terceira Moça é formidável porque pela primeira vez um caso consegue dar um nó na cabeça de Poirot e suas células cinzentas e é também um dos livros mais moderninhos da escritora, visto que ela consegue retratar novos laços da sociedade inglesa a partir da história de Norma, personagem central da trama. Norma procura Hércules Poirot por achar que cometeu um assassinato, mas ao encontrar o detetive acha que ele é velho demais para ajudá-la. Intrigado, Poirot desvenda a identidade da garota e descobre que ela divide apartamento com mais duas jovens, por isso ele a denomina como a terceira moça. À medida que começa a investigação tramas paralelas vem a tona. É então que o nosso querido detetive belga descobre o elo entre as informações e a verdade aparece.

um crime adormecidoUm Crime Adormecido é o último caso de Miss Marple, esdruxulamente podemos dizer que ela é a “versão feminina de Hércules Poirot”. Nesse caso Miss Marple ajuda Gwenda Reed, uma jovem recém casada que acaba de adquirir uma casa centenária no litoral da Inglaterra, a desvendar segredos que cercam o novo lar. A medida que se instala Gwenda começa a intuir detalhes precisos da casa antiga, até que um belo dia ela cria a certeza que uma mulher foi ou será morta em sua residência. Intuitivamente Miss Marple ajuda a Gwenda a descobrir os mistérios que a cercam. Esse realmente é caso instigante.

a casa tortaA Casa Torta conta a história de uma mansão inglesa que possui uma característica intrigante, ela é torta, como o próprio título indica. É nesta mansão que Aristide Leonides um milionário de 80 anos que reside com a esposa, filhos, netos e cunhada é envenenado. O assassinato começa a ser investigado pela polícia e todos os familiares, incluindo a viúva, cinquenta anos mais nova, passam a ser considerados suspeitos. Muitas tramas e questões familiares passam a ser levantadas, mas é Sophia, neta mais velha de Aristides, e o seu namorado, que chegam ao fundo deste mistério.

os crimes abcEm Os Crimes ABC um assassino em série planeja metodicamente diversos homicídios. Os assassinatos são cometidos em ordem alfabética e a única pista deixada pelo criminoso, a cada cena do crime, é um guia ferroviário aberto na cidade em que as vítimas são mortas. O que o serial killer não esperava é que à medida que sua autoconfiança aumenta mais ele estimula Poirot a desvendar esse crime.

cai o panoCai o Pano é o último caso de Hércules Poirot, escrito por Agatha muito antes da sua morte, mas, conforme desejo da escritora, o livro só foi publicado no momento em que ela percebeu que não conseguiria mais escrever. Agatha temia que explorassem o personagem após sua morte, por isso a história ficou trancada em um cofre por alguns anos. Em Cai o Pano Poirot retorna a mansão Sytles – local que originou o primeiro caso do detetive, publicado como O Misterioso Caso de Styles – para desvendar mais um mistério. Nessa história envolvente Poirot precisa solucionar mais um caso de assassinato em série, mas várias são as dificuldades para descobrir todas as nuances dessa história, entre elas as limitações físicas impostas pela idade. Cai o Pano é extremamente surpreendente.

Como eu disse são cincos livros nada óbvios, mas a lista de mistérios escritos por Agatha é formidável. Os títulos mais famosos também são sensacionais. Vale a pena exercitar as células cinzentas com algum exemplar.

 

>> Leia sobre E não sobrou nenhum – romance policial escrito por Agatha Christie e considerado o mais famoso dos últimos tempos

1 Comentários

  1. Pingback: E não sobrou nenhum - Agatha Christie - Subindo no Telhado

Deixe um comentário:

Navigate