As coisas boas de junho/2017

Junho, o mês FFF – férias, frio e forró. Por aqui esse foi o clima geral do mês. Passei junho no interior (na verdade, ainda estou aqui) e foi um período de frio, chuva, fumaça, comidas típicas juninas, forró, licor, família e velhos amigos. Mas, claro, que foi um mês de excelentes leituras, filmes e séries. E é sobre essas coisas boas culturais que vou comentar hoje.

Visitei a Biblioteca Pública Municipal Maria Feijó (Alagoinhas/BA)

Fui visitar com meu primo Cello a biblioteca pública da cidade que nasci, Alagoinhas. E essa visita foi um pouco estranha/ cômica (talvez um dia eu conte essa história completa aqui). Ficamos super empolgados por encontrar edições novas de autores clássicos e alguns livros de sucesso, como a série Harry Potter. Mas, como dizem por aí, alegria de pobre dura pouco. A biblioteca tem um sistema de empréstimo limitado. Você não pode levar para casa vários livros que estão disponíveis, mesmo que haja mais de um exemplar da obra. Complicado, né?

Eu encontrei, por exemplo, 3 exemplares do livro Tenda dos Milagres, da edição da Companhia das Letras. E não deu para levar emprestado para realizar a leitura do projeto #AmandoJorge. Veja a foto abaixo:

Sabe o que eu poderia levar para casa? Os livros sem o adesivo vermelho. Ou seja, apenas edições super antigas. Aí não dá, né? Uma pena! Eu posso ler os livros com o adesivo vermelho apenas na biblioteca. Agora, me diga, como vou ler as 488 páginas de Dona Flor e seus dois maridos assim?

Fiquei frustrada e ainda estou querendo entender essa história melhor. Volto aqui pra contar depois. O que salvou a visita foi a companhia e as risadas, as fotos e depois o sorvete na sorveteria Delícia.

Vai ter A Festa Literária Internacional do Pelourinho – FLIPELÔ em agosto!

Fiquei super feliz com essa notícia. A Flipelô é aguardada desde o ano passado, pelo que eu lembro. E finalmente vai sair. A primeira edição da Festa comemora os 30 anos da Fundação Casa de Jorge Amado e homenageia o escritor Jorge Amado, além de Zélia Gattai e Myriam Fraga.

Você pode acompanhar as novidades no Facebook da FLIPELÔ.

A estreia da Mulher-Maravilha no cinema

Junho foi o mês dessa grande estreia! Eu estava super ansiosa para conferir na telona a história da Diana, de Themyscira. E amei o filme dirigido por Patty Jenkins e estrelado por Gal Gadot. Tem algumas falhas? Tem! Mas a gente perdoa quando lembra que finalmente nossa heroína ganhou um filme pra chamar de seu. Representatividade importa! Agora várias garotinhas vão querer ser Hulk, o Homem de ferro, mas também e preferivelmente a Wonder Woman.

Esse filme chegou chegando na minha vida de um jeito que foi o PRIMEIRO filme de 2017 que eu fiz questão de ir ver no cinema. Sério. Eu ainda não tinha ido no cinema esse ano.

Outro filme que vi: Histórias Cruzadas 

Um filme lindo e emocionante. Além de tratar de temas urgentes e ainda atuais (o filme se passa em 1962), como a situação das empregadas domésticas, o preconceito racial, a condição da mulher negra, Histórias Cruzadas retrata o poder da escrita. Escrever é um ato político.

Foto: Joyce Fonseca

A escrevivência de Conceição Evaristo

Uma das escritoras mais comentadas de 2017 é a Conceição Evaristo. E, finalmente, eu li Olhos D`Água. É difícil falar da Conceição em poucas linhas. A sua trajetória como escritora e sua vida merecem mais destaque. O reconhecimento chegou tarde, então é hora de dedicarmos mais tempo a essa autora que merece ser lida e apreciada no Brasil e no mundo.

Tudo que ela escreve vem da sua vida e da vida dos seus – familiares, amigos, povo. Por isso ela chama a sua literatura de escrevivência. E partindo dessa definição, a ficção de Conceição é bem dura, real, intensa, mas muito emocionante. Na cena principal dos seus escritos está a mulher negra que é a própria Conceição, sua mãe, suas irmãs e todas as outras mulheres negras que não possuem voz, mas que através das palavras da escritora passam a ter. E aqui mais uma vez vemos a escrita como um ato político.

 

E só então compreendi. Minha mãe trazia, serenamente em si, águas correntezas. Por isso, prantos e prantos a enfeitar o seu rosto. A cor dos olhos de minha mãe era cor de olhos d’água. Águas de Mamãe Oxum! Rios calmos, mas profundos e enganosos para quem contempla a vida apenas pela superfície. Sim, águas de Mamãe Oxum.

 

Livro na Amazon:  http://amzn.to/2tK4t13

Veja quais foram as minhas outras leituras no vídeo abaixo:

Minha despedida de Downton Abbey

A última temporada de Downton Abbey entrou pro catálogo da Netflix em junho e então foi a minha vez de dizer tchau para a série maravilhosa criada por Julian Fellowes. Uma das produções mais lindas e emocionantes da televisão. Um drama histórico que me fez chorar, rir, vibrar, enlouquecer de raiva com todas as personagens. Me apaixonei por cada membro da família Crawley durante sua “luta” para manter viva a tradição enquanto o mundo todo ficava moderno. Meus personagens favoritos sempre foram: Sybil, Violet Crawley, Isobel Crawley, Anna Bates e Tom Branson. E durante as passagens das temporadas fui gostando muito do crescimento de Edith Crawley.

Se você ainda não viu, veja. Sem dúvidas é uma super série. Eu pretendo rever muito em breve.

E um filme começara a ser produzido em 2018! 

Outra série eu vi: Anne com E. Me apaixonei por essa história e já comentei no blog sobre ela. Clique aqui para saber mais!

Desejo que seu julho seja cheio de coisas boas! 😉

Espalhe “As coisas boas de junho/2017” por aí 😉

6 Comentários

  1. EEEE MULHER MARAVILHA!! Tem umas coisinhas mesmo, mas é ótimo!

    Td mundo fala de DA e eu nunca vi =O preciso dar uma chance rsss

  2. Eu ainda não assisti o filme da Mulher Maravilha, mas pretendo em breve.
    Eu tenho um livro com essa etiqueta vermelha (O Cortiço), e é meu xodó. Comprei em um sebo, ainda não li, mas acho que ele dá um charme a mais na minha estante.
    Beijos

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Veja Mulher Maravilha. Vale a pena!
      Livros de sebo <3
      bjão

  3. Depois conte mesmo como é que é essa história do empréstimo limitado da biblioteca de Alagoinhas – também fiquei curioso, ainda mais em relação a livros de um escritor tão popular como Jorge Amado. ( se estivéssemos falando de exemplares raros/edições especiais históricas até poderia entender)

    “Mulher Maravilha” é um grande filme, gostei bastante. Eu não sou muito de cinema (uia!), mas fui só para vê-la e agora só retorno aos cines no final do ano quando lançarem “Liga da Justiça” – fã de quadrinhos, já viu, né? 😀

    “Histórias cruzadas”. Dica anotada! Parece ser extremamente interessante e necessário.

    bjks

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Eu vou voltar lá, em breve, para saber. 😉
      Siiiim… Estou super ansiosa para ver Liga da Justiça. Não sou dos quadrinhos, mas sou dos desenhos. hahaha
      Acredito que você vai gostar de Histórias Cruzadas.
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate