8 livros inspiradores

Já faz um tempo que busco ler obras que possam ajudar no meu desenvolvimento pessoal. Outras leio para ter um abraço amigo literário. Sabe como é? É quando encontramos um livro que nos passa exatamente a mensagem que precisamos ouvir/ler no momento. 

Selecionei alguns livros inspiradores que me ajudaram de alguma maneira durante e depois da leitura. Espero que te inspirem também!

Sinopse: Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.

Sinopse: A executiva de Wall Street Caroline L. Arnold um dia percebeu que seu sucesso profissional não se refletia nas realizações pessoais. Quando decidia emagrecer, economizar dinheiro ou ser mais organizada, começava com entusiasmo e determinação, mas logo perdia a força de vontade.
Se você se identificou, saiba que quase 90% das resoluções de autoaperfeiçoamento acabam em fracasso. Essas derrotas consecutivas podem fazer você tomar medidas cada vez mais drásticas para conseguir alguma mudança, mas, na verdade, é uma pequena atitude que lhe dará mais chances de alcançar seu objetivo. Este livro apresenta o bem-sucedido sistema das microrresoluções – um conjunto de regras, modelos e exemplos que irá ajudar você a concentrar seu autocontrole em um comportamento específico até ele se tornar tão automático quanto amarrar os sapatos.
Ao redirecionar o foco da sua força de vontade, você poderá ter êxito logo na primeira tentativa e verá o impacto que uma grande mudança pode ter na boa forma, nos relacionamentos, na carreira, na saúde, no sono, nos gastos, na organização e na pontualidade.
Pequenas atitudes, grandes mudanças mostra que, enquanto a resolução tradicional promete recompensas a longo prazo, as microrresoluções funcionam porque os benefícios são imediatos, alterando nossa rotina e, em última análise, a nós mesmos.

Sinopse: Em torno dos 30 anos, Elizabeth Gilbert enfrentou uma crise da meia-idade precoce. Tinha tudo que uma americana instruída e ambiciosa teoricamente poderia querer – um marido, uma casa, um projeto a dois de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, foi tomada pelo pânico, pela tristeza e pela confusão. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado, até que se viu tomada por um sentimento de liberdade que ainda não conhecia. Foi quando tomou uma decisão radical – livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo – sozinha.

Sinopse: Nas crônicas de Martha Medeiros há espaço para todas as normalidades e todas as “esquisitices” que caracterizam o Homo sapiens modernus: o sentimento de frustração, o tic-tac do relógio biológico feminino, a necessidade de dinheiro versus a necessidade de sossego, mulheres que decidem não ter filhos, o progressivo apagamento das fronteiras entre um e outro sexo, máquinas de provocar orgasmos, choros, filmes, livros e músicas, a delícia e a tragédia de amar duas pessoas ao mesmo tempo, a delícia e a tragédia de não amar ninguém e tantas outras coisas da vida.

 

 

Sinopse: Façam boa arte. Esse foi um pedido sincero de ninguém menos que Neil Gaiman quando discursou para a turma de 2012 da University of the Arts na Filadélfia. Um discurso autêntico e repleto de significado – durante os 19 minutos em que falou, dois dos mais emblemáticos conselhos de Gaiman foram “criem suas próprias regras” e “cometam erros”. Os conceitos libertadores defendidos para os alunos deram origem ao livro. Gaiman teve a colaboração crucial do renomado designer gráfico Chip Kidd. A dupla abusa dos recursos gráficos e da metalinguagem para expressar o poder da criatividade. Gaiman alega que em qualquer área artística e de criação mesmo os erros que cometemos têm um grande potencial: com sensibilidade e muito trabalho, podem se transformar em brilhantes insights. Em relato pessoal, ele explica que certa vez, escrevendo Caroline em uma carta, inverteu de lugar o A e o O, e logo percebeu que Coraline parecia um nome de verdade. Um erro banal que, nas mãos do autor, tornou-se um fantástico acerto. Coraline é o título de um conto de fadas às avessas, publicado por Gaiman em 2002 e, mais tarde, adaptado para os cinemas. Uma história que conquistou milhares de novos admiradores para o trabalho do já aclamado autor.

Sinopse: Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida sem medo, um ato de coragem.

A partir de uma perspectiva única, “Grande Magia” nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos. Escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as partes mais difíceis do trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosos insights sobre a misteriosa natureza da inspiração. >> Confira minha opinião

Sinopse: Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder.
Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida. >> Confira minha opinião

Sinopse: Entre os talentos de Oprah Winfrey está sua capacidade de compreender a natureza humana como poucos e, ao mesmo tempo, colocar essa sabedoria em palavras. Desde que foi questionada sobre as coisas de que tinha certeza na vida, ela passou a registrar suas reflexões sobre relacionamentos amorosos, família, autoestima, medos, fracassos e superação. Em textos curtos, Oprah oferece mensagens profundas que vão ajudar você a fazer as pazes com seu corpo, a construir relacionamentos mais harmoniosos, a mudar sua maneira de encarar os problemas e a extrair da vida o máximo que ela tem a oferecer.

 

 

Qual livro te inspirou de alguma maneira na vida? Conte aí nos comentários!

Não perca as atualizações do blog:

Espalhe “8 livros inspiradores” por aí! 😉 

12 Comentários

  1. quero ler mais livros assim inspiradores, acho que faz uma baita diferença! já vi muita gente elogiando o grande magia, quero! e, quero mais ainda, o ano em que disse sim. desses só li girlboss, tô pensando até em reler! :*** muá!

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Leia Grande Magia e O ano em que disse sim – dois amores <3
      bjão

  2. Oi Jen,

    Fiquei com muita vontade de ler esse pequenas atitudes, grandes mudanças. Vou procurar pra comprar. Girlboss foi um livro que provocou essa mudança na minha vida porque eu li em um momento certo na minha vida e me deu muita esperança e confiança. Outro livro que me marcou muito e mudou algo em mim foi o Viva Ame Lidere do pastor da Hillsong, Brian Houston.

    Bjs

    http://belsantanna.com/

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Bel, pequenas atitudes, grande mudanças é bem legal. E cheio de exemplos práticos.
      Pretendo ainda comentar sobre ele aqui no blog.
      Eu adorei ler Girlboss. Me inspirou e me deu mais confiança também.
      Vou procurar mais infos sobre Viva Ame Lidere.
      bjão

  3. Bem, de certa forma no meu último post em meu humilde bloguezinho relacionei algumas obras que me ajudaram quanto ao crescimento e desenvolvimento pessoal e citei um livro que acho fantástico: “Como mudar o mundo”, de John Paul Flintoff. Apesar do título pretensioso, apresenta o poder que as chamadas “pequenas coisas e atos” são capazes. Uma beleza de livro. E na sua lista já ouvi falar bastante da “Grande magia” da Elizabeth Gilbert e veja que interessante paralelo com a obra de Neil Gaiman: cometa erros, arrisque. Parece ser um dos “segredos” para uma vida criativa, pois o mesmo se lê em obras que procuram elencar passos ou atos para a criatividade. Em “Ser criativo, o poder do improviso” (outro livro inspirador, por sinal), Stephen Nachmanovitch nos aconselha o mesmo: arrisque, erre, improvise, realize, não tenha amarras. Enfim, é sempre bom encontrar listas inspiradoras. 🙂

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Gosto muito dos seus textos, Jaime!
      Já anotei aqui “Como mudar o mundo” e “Ser criativo…”.
      Grande Magia é muito bom. Li no momento que estava pensando em largar o blog e o livro me ajudou a continuar.
      hahaha
      bjão

  4. Amei o post, Geraldine!
    Desse daí eu já li “Faça boa arte” e sou apaixonada por este discurso do Neil Gaiman. Já estão na minha lista de desejados: “O ano em que disse sim”, “Grande Magia” e “Girl Boss”.
    Espero me inspirar muito com esses livros.

    Cris
    Plataforma 9 3/4

  5. O único da lista que cheguei a ler foi Faça Boa Arte, é maravilhoso e Neil é incrível. Eu só não gostei da diagramação do livro, as cores são muito clarinhas e dói o olho, às vezes as letras estão minúsculas também. Fiz uma resenha e esculachei o Chip Kidd, porque odiei o que ele fez huahua

    Com amor,
    ♥ bruna-morgan.blogspot.com ♥

    • Jeniffer Geraldine Reply

      hahahaha
      sim, e algumas coisas eu não entendia muito bem, na primeira leitura, por causa da diagramação.
      bjão

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Vale super a pena. Ainda não vi a série, mas o livro tem dicas ótimas.
      Bjão

Deixe um comentário:

Navigate