8 livros brasileiros para ler

Dia 23 de abril é comemorado o dia mundial do livro e do direito do autor e nada melhor do que festejar lendo obras de escritores brasileiros. Selecionei alguns dos meus livros favoritos para te inspirar na escolha das leituras para esse dia e para os próximos.

Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios – Marçal Aquino

Sinopse: Numa cidade de garimpo do Pará, conflagrada pelas tensões de uma corrida do ouro, um fotógrafo vive uma paixão clandestina com uma mulher misteriosa e sedutora. Mesmo sabendo dos riscos do jogo, ele decide ir até o fim — e agora está de volta para relatar o que viveu.

 

Dois Irmãos – Milton Hatoum

Sinopse: “Dois Irmãos” é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. É a história de dois irmãos gêmeos – Yaqub e Omar – e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino – o filho da empregada – narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance.

Quarenta Dias – Maria Valéria Rezende

Sinopse: “Quarenta dias no deserto, quarenta anos.” É o que diz (ou escreve) Alice, a narradora de Quarenta dias, romance magistral de Maria Valéria Rezende, ao anotar num caderno escolar pautado, com a imagem da boneca Barbie na capa, seu mergulho gradual em dias de desespero, perdida numa periferia empobrecida que ela não conhece, à procura de um rapaz que ela não sabe ao certo se existe.

A Cabeça de Santo – Socorro Acioli

Sinopse: Pouco antes de morrer, a mãe de Samuel lhe faz um último pedido: que ele vá encontrar a avó e o pai que nunca conheceu. Mesmo contrariado, o rapaz cumpre a promessa e faz a pé o caminho de Juazeiro do Norte até a pequena cidade de Candeia, sofrendo todas as agruras do sol impiedoso do sertão do Ceará. Ao chegar àquela cidade quase fantasma, ele encontra abrigo num lugar curioso: a cabeça oca e gigantesca de uma estátua inacabada de santo Antônio, que jazia separada do resto do corpo. Mas as estranhezas não param aí: Samuel começa a escutar uma confusão de vozes femininas apenas quando está dentro da cabeça. Assustado, se dá conta de que aquilo são as preces que as mulheres fazem ao santo falando de amor. Seu primeiro contato na cidade será com Francisco, um rapaz de quem logo fica amigo e que resolve ajudá-lo a explorar comercialmente o seu dom da escuta, promovendo casamentos e outras artimanhas amorosas. Antes parada no tempo, a cidade aos poucos volta à vida, à medida que vai sendo tomada por fiéis de todos os cantos, atraídos pelo poder inaudito de Samuel. Em meio a esse tumulto, ele irá descobrir a verdade sobre o desaparecimento do pai e se apaixonar por uma voz misteriosa que se destaca entre as tantas outras que ecoam na cabeça do santo.

Veja também: Vamos ler mais brasileiros! | Projeto #LeiaBrasileiros | Dicas para ler mais

Capitães da Areia – Jorge Amado

Sinopse: Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.

O Canto da Sereia – Melson Mota

Sinopse: Esqueça os detetives de outrora, que circulam por ruelas escuras e frias, envoltos em trajes soturnos e enigmáticos. O investigador baiano Agostinho Matoso, o insaciável Augustão, prefere calças brancas e camisas floridas, freqüenta os ensaios do Olodum e nunca enfrentará questões de magnitude com a cara limpa – um cerveja gelada, por favor, uma rede, quem sabe um baseado, Miles Davis e Jorge Benjor, porque há que se matutar, e muito para decifrar o crime que paralisou a cidade.

A condição indestrutível de ter sido – Helena Terra

Sinopse: Quais as chances de encontrar o verdadeiro amor oculto entre as centenas de nomes sem rosto que frequentam um blogue coletivo? A narradora de A condição indestrutível de ter sido esbarra por acaso com Mauro, um sujeito simpático e inteligente, e, impelida pela paixão, resolve canalizar todas as suas energias para concretizar este relacionamento. Mesmo que ele more em uma cidade distante. Mesmo sabendo que ele é casado.

Meus Desacontecimentos – Eliane Brum

Sinopse: A menina que flertava com a morte conta como foi salva pela palavra escrita. Em cada página, personagens fantasticamente reais incorporam-se: a irmã morta, que era a mais viva entre todos; a avó, comedida em tudo, menos na imaginação; a família que precisou de uma perna fantasma para andar no novo mundo; as tias que viravam flores para não murchar. Como repórter e escritora, Eliane sempre questionou a forma como cada um inventa uma vida e cria sentido para seus dias. Em Meus desacontecimentos, conta como ela mesma se arrancou do silêncio para virar narrativa. Neste itinerário de dentro para dentro, a autora percorre-se com delicadeza, mas sem pudor. Oferece-se ao leitor nua. Quase em sacrifício.” “A premiada jornalista Eliane Brum revela suas mais profundas memórias de infância De quantos nascimentos e mortes se constitui uma vida? De quantos partos uma pessoa precisa para nascer? Com quantas palavras se faz um corpo?

No YouTube:

Não perca nenhuma novidade do blog:

Espalhe “8 livros brasileiros para ler” por aí! 😉

11 Comentários

  1. Pingback: Livros brasileiros para ler [BEDA #23] – Ponto Para Ler – Blog Literário

  2. Jeni!
    Capitães da Areia <3 Amo amo amo muito! E está na nossa lista também \o/
    Gostei demais da sua lista, trouxe nomes que eu ainda não conhecia e que me interessaram muito. Também gostei muito da diversidade. Arrasou!
    Beijo!

  3. Thamiris Alves Reply

    Dois livros em comum nas nossas listas Jen!
    Sem falar que o de Jorge Amado só não entrou pq botei outro dele hahaha
    beijos

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Jorge é amor demais!
      Estou com saudades dele. ahahha
      Vou providenciar um livro para ler, em breve.
      bjão

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Esse da Helena é muito bom!
      Leitura rápida mas marcante.
      Bjão

  4. Oi Jeni!
    Amei tua lista!
    Alguns eu não conhecia e fiquei super curiosa para ler, “Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios”.
    Beijão

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Acredito que você vai amar esse, Mércia!
      bjão

  5. Ain meu coração A Cabeça do Santo ta na minha listinha a um tempinho mas nunca tinha visto ninguém comentar absolutamente nada sobre. Adorei, vou já já conferir a resenha.
    Adorei a listinha.
    Beijos

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Ah, super leia!
      É muito bom.
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate