7 livros de autores contemporâneos

Uma lista com alguns dos meus livros favoritos de autores contemporâneos. Tem para todos os gostos! 😉

Grande Magia – Vida criativa sem medo, de Elizabeth Gilbert

Elizabeth Gilbert, autora do best seller Comer, rezar e amar, escreveu um livro de autoajuda, Grande Magia – Vida criativa sem medo, que foi lançado no Brasil, em 2015, pela Editora Objetiva. A ideia de Gilbert é refletir sobre criatividade. A autora comenta que fez o livro porque gosta de pensar no assunto e não tem a intenção de salvar a vida de ninguém, mas se no meio do caminho isso acontecer, tudo bem. >> Saiba mais

A elegância do ouriço, de Muriel Barbery

À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou por que não duas agentes? É justamente o que faz Muriel Barbery em A “Elegância do Ouriço”, seu segundo romance. Para começar, dando voz a Renée, que parece ser a zeladora por excelência: baixota, ranzinza e sempre pronta a bater a porta na cara de alguém. Na verdade, uma observadora refinada, ora terna, ora ácida, e um personagem complexo, que apaga as pegadas para que ninguém adivinhe o que guarda na toca: um amor extremado às letras e às artes, sem as nódoas de classe e de esnobismo que mancham o perfil dos seus muitos patrões. >> Saiba mais

Precisamos falar sobre o Kevin, de Lionel Shriver

Em “Precisamos fala sobre o Kevin” lemos as cartas que Eva Khatchadourian escreveu para seu marido, Franklin, após o filho do casal, Kevin, assassinar sete colegas, uma professora e um funcionário no ginásio do colégio em que estudava em Nova York. >> Saiba mais

Luzes de emergência se acenderão automaticamente, de Luisa Geisler

De certa forma, um relacionamento são duas pessoas que se recusam a desistir uma da outra. Duas pessoas igualmente ferradas, claro. É o que escreve Henrique, ou Ike, em cadernos que carrega consigo para todos os lugares. São cadernos em que fala de seu dia a dia, dos amigos, e de sonhos difusos que ele guarda para o futuro. Henrique mora nos subúrbios de Porto Alegre com os pais, e é um garoto que se considera, em todos os aspectos, uma pessoa normal. Está na faculdade, trabalha num posto de gasolina em meio período, tem uma namorada. Fala pouco, é introspectivo, mas cultiva amizades sólidas. Tudo muda quando seu melhor amigo, Gabriel, bate a cabeça num acidente banal e, pouco tempo depois, é hospitalizado em coma. Após uma cirurgia de emergência, não há muito que fazer por ele, dizem os médicos. Apenas esperar. E Ike, os pais de Gabriel, o irmão mais velho e os amigos aguardam o menor sinal de melhora. É então que, perto do Natal, Ike começa a escrever. São cartas em sequência ao amigo, como uma conversa, onde relata o que se passa na ausência do amigo. Para “quando tu acordar”, diz ele. “Queria saber quando tu ia acordar, como tu tá, o que tem acontecido, se tem algo que dê pra fazer”, escreve Henrique. As cartas são entremeadas por narrativas curtas, que dão a elas uma dimensão adicional: até que ponto Ike sabe realmente o que acontece à sua volta? O que pensam os outros? >> Saiba mais

Bonsai, de Alejandro Zambra

O chileno Alejandro Zambra em seu livro Bonsai (Cosac Naify), nos apresenta a história do fim do amor entre Julio e Emilia, dois estudantes de Letras. Logo no início Zambra deixa claro que ela morre e ele fica sozinho. >> Saiba mais

Joe Speedboat, de Tommy Wieringa

Fransje, nosso narrador de 15 anos, sai do coma após um acidente que o deixou sem fala e sem alguns movimentos. Ele consegue se locomover com a ajuda de uma cadeira de rodas, sua charanga, e se comunica através da escrita que é feita com seu braço direito, único membro que ele não perdeu o movimento. É fã do espadachim japonês Miyamoto Musashi e é com a leitura de seus livros sobre luta e estratégia que Fransje busca inspiração para viver. Frans também gosta de escrever e cultiva diários sobre sua vida e o lugar em que mora. >> Saiba mais

Exorcismos, amores e uma dose de blues, de Eric Novello

Eric Novello é um dos atuais entusiastas da literatura fantástica brasileira. Desde 2004, escreve contos e romances que misturam fantasia e realidade, além de organizar coleções sobre os temas. Exorcismos, amores e uma dose de blues (Editora Gutenberg, 2014), seu mais recente lançamento, é uma mistura de literatura noir, música, romance e, principalmente, um convite para descobrir e apreciar a literatura contemporânea do Brasil. >> Saiba mais

Boa leitura!

Confira outras dicas de leitura com a galera do Grupo #NomeProvisório. É só clicar no banner abaixo!

Não perca nenhuma atualização do BEDA!

Espalhe “7 livros de autores contemporâneos” por aí! 😉

Compartilhe:
Escrito por Jeniffer Geraldine
jornalista, criadora de conteúdo, mestranda em crítica cultural