5 motivos para ver a série Alias Grace

Alias Grace, a nova série da Netflix, é baseada no romance de mesmo nome da autora Margaret Atwood, também conhecida por ser autora de O conto da Aia.

A inspiração para escrever Alias Grace surgiu de um caso real que aconteceu no Canadá. Um homem foi morto com um tiro a queima roupa em sua própria casa e também a sua governanta, que teve uma morte mais aterrorizante. Os corpos foram escondidos no porão e os culpados pelos assassinatos foram James McDermott, 20 anos, e Grace Marks, 16 anos. Os dois eram empregados da casa e foram encontrados quando tentavam fugir para os Estados Unidos. Todos diziam que eles eram amantes.

James e Grace foram condenados à morte, mas apenas ele foi enforcado. Grace passou anos na prisão e um tempo no manicômio. Na série, conhecemos tudo isso através da narração da personagem que é feita em sessões com o médico Jordan Simon.

Abaixo vou listar cinco motivos para tentar te convencer a ver Alias Grace:

1. Feminismo e o sistema patriarcal

Através da vida de uma mulher, e de algumas pessoas que vão passar por ela, podemos refletir sobre vários temas que ainda são presentes na nossa sociedade e que são motivos da luta feminista, como: as consequências da sociedade machista na vida de uma mulher; a vida a sombra e à margem que muitas mulheres viveram e vivem; a questão da propriedade do corpo feminino e a sexualidade feminina; aborto; assédio e violência sexual.

2. Sarah Gadon

A atriz que dá vida a Grace faz uma atuação brilhante. O olhar, os gestos calculados e expressivos nos ajudam a criar hipóteses sobre a real personalidade de Grace, personagem que é muito intrigante. Ela já passou por vários tratamentos e até pelo manicômio e, ainda assim, mantém uma certa lucidez, calma, sanidade. Na série, o seu advogado de defesa a chama de “senhora do silêncio” e “nervos de aço”.

3. Mary Withney

A grande amiga de Grace, a pessoa com quem ela viveu a fase mais feliz da sua vida. E também a minha personagem preferida. Uma garota com algumas ideias e pensamentos feministas, rebeldes, diretos e atrevidos para época. Mary foi uma grande inspiração para Grace e existia entre elas muita sororidade/ irmandade.

4. Os personagens masculinos

Do pai de Grace até o Dr. Jordan, os personagens masculinos são a representação pura da opressão e cultura machista. E os atores fazem uma interpretação maravilhosa, em especial, o Edward Holcroft (Dr. Jordan). Mas há um personagem que virou meu crush na série, o Jeremiah, uma espécie de caixeiro-viajante que é também um pouco mágico e vidente.

5. Enigma aberto

Após os seis episódios, ficam algumas possibilidades de interpretação. Finalizamos a série sem ter muita certeza se ela matou e o mais importante, quem é Grace Marks?

Espalhe “5 motivos para ver a série Alias Grace” por aí! 😉

4 Comentários

  1. Nossa, que interessante Jeniffer. Não conhecia o livro e nem a série. Realmente esse é o ano da Margaret Atwood. Vou procurar para assistir já! Um beijo :*

    • Jeniffer Geraldine Reply

      hahahahaha <3
      menina, veja! é boa mesmo.
      bjão

Deixe um comentário:

Navigate