13 filmes brasileiros preferidos da vida

O dia 19 de junho foi escolhido para comemorar o Dia Nacional do Cinema Brasileiro pois foi nessa data, em 1898, que foram feitas no Brasil as primeiras imagens com a tecnologia do cinematógrafo, pelo italiano Affonso Segretto. Mas (porque por aqui sempre tem um “mas”) há também a data 05 de novembro para homenagear a primeira exibição cinematográfica feita no Rio de Janeiro, em 1896.

19 de junho ou 05 de novembro, o importante é valorizar qualquer produção brasileira. E assim como levanto a bandeira do Leia Brasileiros, levanto também a do Veja Brasileiros. E, pensando em reforçá-la um pouco mais aqui no blog, hoje trago os meus 12 filmes brasileiros preferidos da vida (até o momento).

Nise: O coração da loucura (2015)

Sinopse: Ao sair da prisão, a doutora Nise da Silveira volta aos trabalhos num hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro e se recusa a empregar o eletrochoque e a lobotomia no tratamento dos esquizofrênicos. Isolada pelos médicos, resta a ela assumir o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início à uma revolução regida por amor, arte e loucura.

*Disponível na Netflix

O lobo atrás da porta (2013)

Sinopse: Numa delegacia, um homem (Milhem Cortaz), sua mulher (Fabíula Nascimento) e a amante dele (Leandra Leal) são interrogados. Arrancados pacientemente pelo detetive (Juliano Cazarré), um após o outro, seus depoimentos vão tecendo uma trama de amor passional, obsessão e mentiras que levará a um final completamente inesperado.

Que horas ela volta? (2015)

Sinopse: A pernambucana Val se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino vai prestar vestibular, Jéssica lhe telefona, pedindo ajuda para ir a São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

Hoje eu quero voltar sozinho (2014)

Sinopse: Leonardo é um adolescente cego que, como qualquer adolescente, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Para decepção de sua inseparável melhor amiga, Giovana, ele planeja libertar-se de seu cotidiano fazendo uma viagem de intercâmbio. Porém a chegada de Gabriel, um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos em Leonardo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo.

*Disponível na Netflix

Somos tão jovens (2013)

Sinopse: Na trama, o jovem Renato Russo não tem tempo a perder: sonha ser um astro do rock. Mas ainda é cedo. Ele precisa estudar, dar aulas de inglês, tranquilizar os pais, curtir a turma, curar dores de amor e, principalmente, arrumar quem toque na sua banda. Do Aborto Elétrico à Legião Urbana, “Somos Tão Jovens” apresenta os primeiros acordes do mito Renato Russo e da turma do Rock Brasília, criadores de sucessos como “Que País é Este”, “Geração Coca-Cola”, “Eduardo e Mônica” e muitas outras músicas que marcam e transformam fãs geração após geração.

Cine Holliúdy (2013)

Sinopse: No interior cearense, em meados dos anos 1970, Francisgleydisson (Edmilson Filho) é um pequeno exibidor que luta para manter sua sala aberta, a despeito da chegada das TVs. Após fracassar em uma cidade, ele e sua família se mudam para o município de Pacatuba, onde encontra uma plateia deveras pitoresca para seus filmes.

Romance (2008)

Sinopse: Ana e Pedro, dois jovens atores, se apaixonam durante a montagem teatral do “Romance de Tristão e Isolda”. Ao mesmo tempo que recriam a história deste casal mítico que está na origem de todos os casais românticos, eles tentam descobrir para si próprios uma nova forma de se relacionar, menos trágica e mais livre, porém carregada da mesma emoção. Ao narrar o romance contemporâneo de Ana e Pedro, tendo como pano de fundo o romance clássico de Tristão e Isolda, “Romance” é uma história de amor e uma história sobre o amor.

O Palhaço (2011)

Sinopse: Em O Palhaço, Benjamim (Mello) e Valdemar (Paulo José) formam a dupla Pangaré e Puro Sangue, que rodam as estradas do interior com a trupe do Circo Esperança. O palhaço Benjamin, porém, está em crise. Acha que perdeu a graça.

O Auto da Compadecida (2000)

Sinopse: As aventuras de João Grilo (Matheus Nachtergaele), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton Mello), o mais covarde dos homens. Ambos lutam pelo pão de cada dia e atravessam por vários episódios enganando a todos da pequena cidade em que vivem.

Cazuza – O Tempo Não Pára (2004)

Sinopse: A vida louca que marcou o percurso profissional e pessoal de Cazuza (Daniel de Oliveira), do início da carreira, em 1981, até a morte em 1990, aos 32 anos: o sucesso com o Barão Vermelho, a carreira solo, as músicas que falavam dos anseios de uma geração, o comportamento transgressor e a coragem de continuar a carreira, criando e se apresentando, mesmo debilitado pela Aids.

*Disponível na Netflix

Lisbela e o Prisioneiro (2003)

Sinopse: Lisbela (Débora Falabella) é uma moça que adora ir ao cinema e vive sonhando com os galãs de Hollywood dos filmes que assiste. Leléu (Selton Mello) é um malandro conquistador, que em meio a uma de suas muitas aventuras chega à cidade de Lisbela. Após se conhecerem eles logo se apaixonam, mas há um problema: Lisbela está noiva. Em meio às dúvidas e aos problemas familiares que a nova paixão desperta, há ainda a presença de um matador (Marco Nanini) que está atrás de Leléu, devido a ele ter se envolvido com sua esposa (Virginia Cavendish).

Central do Brasil (1998)

Sinopse: Dora (Fernanda Montenegro) escreve cartas para analfabetos na estação Central do Brasil. Uma das clientes de Dora é Ana, que vem escrever uma carta com o seu filho, Josué, um garoto de nove anos, que sonha encontrar o pai que nunca conheceu. Na saída da estação, Ana é atropelada e Josué fica abandonado. Mesmo a contragosto, Dora acaba acolhendo o menino e envolvendo-se com ele. Termina por levar Josué para o interior do Nordeste, à procura do pai. À medida em que vão entrando país adentro, esses dois personagens, tão diferentes, vão se aproximando. Começa então uma viagem fascinante ao coração do Brasil, à procura do pai desaparecido, e uma viagem profundamente emotiva ao coração de cada um dos personagens do filme.

Bicho de Sete Cabeças (2001)

Sinopse: Seu Wilson (Othon Bastos) e seu filho Neto (Rodrigo Santoro) possuem um relacionamento difícil, com um vazio entre eles aumentando cada vez mais. Seu Wilson despreza o mundo de Neto e este não suporta a presença do pai. A situação entre os dois atinge seu limite e Neto é enviado para um manicômio, onde terá que suportar as agruras de um sistema que lentamente devora suas presas.

Confira também: 4 dramas brasileiros que você precisa ver

Aceito dicas de filmes brasileiros pra ver! Diz aí nos comentários!

Espalhe “13 filmes brasileiros preferidos da vida”por aí! 😉

 

4 Comentários

  1. Jeni, da tua lista eu já assisti seis, vou tentar assistir os outros com exceção de um hahahah você acredita que a única vez na vida que sai sem terminar de ver um filme foi com O Palhaço? – talvez não tenha sido o filme certo pra mim naquela época e talvez eu devesse voltar a tentar assistir, mas justamente por ter sido meu primeiro e único abandono cinematográfico eu tenho um certo ranço com esse filme :/

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Hahahaha sério?
      Mas pq?
      Fiquei curiosa.
      Bjão

    • Jeniffer Geraldine Reply

      Verdade! Estou até precisando ver mais cinema brasileiro. Vou tentar fazer isso nos próximos meses.
      Bjão

Deixe um comentário:

Navigate